Artigo – Aperfeiçoar o cuidado crítico para salvar vidas

301

A Política Nacional de Humanização (PNH), criada em 2003 pelo Ministério da Saúde, vem sendo implementada para a construção de uma nova forma de cuidado com os pacientes guiada pela humanização. Para o Ministério da Saúde, humanizar é oferecer atendimento de qualidade, proporcionar um cuidado integral, buscando a melhoria do ambiente onde o cuidado é prestado e proporcionando melhoria nas condições de trabalho dos profissionais da saúde.

A excelência no atendimento ao paciente é um elemento vital para a instituição de saúde que tem o propósito de cuidar, apoiar e salvar vidas. Entretanto, médicos, enfermeiros e profissionais da saúde enfrentam diversos desafios dentro de centros cirúrgicos e UTIs de forma geral. Equipamentos adequados e de qualidade são de grande importância para um tratamento correto e bem-sucedido. A confiabilidade técnica dos aparelhos promove excelência, segurança e satisfação no cuidado prestado aos pacientes. Além disso, a equipe médica se sente mais segura e capacitada em um ambiente de trabalho seguro, aprimorando os resultados clínicos.

Aperfeiçoar o cuidado crítico também envolve a valorização do corpo clínico e do paciente, dando aos profissionais da saúde autonomia para transformar a realidade dos hospitais. Para que essa transformação seja real e efetiva, é essencial que a complexidade técnica dos aparelhos nos centros cirúrgicos e UTIs seja reduzida e os profissionais sejam constantemente atualizados e treinados a fim de que se sintam mais confiantes ao desempenhar suas atividades. Dessa maneira, estarão preparados para aproveitar ao máximo todos os recursos disponíveis nos equipamentos, otimizando o desempenho dos procedimentos e transmitindo mais segurança aos pacientes.

O paciente – foco principal de preocupação – deve ter um tratamento humanizado e um ambiente focado em seu bem-estar, principalmente no que concerne a procedimentos cirúrgicos, que exigem mais atenção e cuidados especiais. Um centro cirúrgico seguro e ergonômico, focado em conceitos de higiene, minimização dos níveis de ruídos, iluminação confortável e com a movimentação do corpo clínico simplificada faz toda diferença na melhora do paciente, na sua experiência e na satisfação com o corpo clínico.

Paulo Pinto é Diretor-Presidente da Dräger no Brasil

Deixe seu comentário