Brasil injetará mais de R$ 27,7 mi em internacionalização de dispositivos para a saúde

56

Desenvolver a competitividade das empresas através da inserção internacional e evolução da sua maturidade exportadora, promovendo a imagem do setor e do Brasil no exterior através da associação a padrões globais de qualidade. Essa é a missão do projeto setorial Brazilian Health Devices, executado pela ABIMO (Associação Brasileira da Indústria de Artigos e Equipamentos Médicos, Odontológicos, Hospitalares e de Laboratórios) em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), que completa em 2017 dezesseis anos e chega a sua oitava edição com mais de R$ 27,7 milhões a serem investidos pela associação e pela agência em prol da internacionalização de empresas fabricantes e desenvolvedoras de produtos médico-hospitalares, de laboratório, de reabilitação e de odontologia.

“Queremos consolidar e expandir a participação das empresas brasileiras no exterior, principalmente nos mercados-alvo do projeto e nos mercados elencados pelo Governo Federal no Plano Nacional de Exportações para 2015-2018”, explica a gerente do projeto e do marketing internacional da ABIMO, Clara Porto.

Para isso, serão investidos quase R$ 17 milhões pela Apex-Brasil e mais de R$ 10 milhões pela ABIMO, em ações para que as mais de 145 empresas que fazem parte do projeto BHD possam alcançar voos ainda mais altos no mercado internacional. A adesão ao projeto não é vinculada à participação à ABIMO, sendo que qualquer empresa que se encaixe no escopo de atuação do projeto pode aderir.

Os resultados esperados se darão por meio de ações ao redor do mundo, de acordo com os mercados-alvo elencados pelo Comitê que gere o BHD. Estão previstas 30 participações em feiras até novembro de 2019, além de comitivas em missões prospectivas e comerciais para países como Argentina, Chile, México, Indonésia e Tailândia. O BHD prevê ainda eventos de promoção comercial focando na imagem da indústria brasileira e somam-se ainda a aquisição de ferramentas de Inteligência Competitiva e oficinas e treinamentos sobre cultura exportadora.

A meta para exportações do Projeto BHD é fechar o ano de 2017 com US$ 96 milhões e chegar a US$ 110 milhões e US$ 128 milhões em 2018 e 2019, respectivamente.

A proposta de Projeto Setorial 2017-2019 possui uma agenda de trabalho focada na estruturação para comércio exterior e evolução da maturidade exportadora das empresas participantes do projeto, e apresenta uma expansão estruturada de mercados-alvo, aproveitando o potencial dos segmentos mais maduros, como Odontologia, para a exploração de mercados na Ásia.

O projeto prevê ainda a coordenação de esforços com múltiplos atores para promoção da imagem do Brasil como parceiro de negócios confiável e atrativo, e contempla uma pauta de trabalho de alto valor agregado com reflexos positivos para a imagem brasileira no exterior.

“Ao longo dos anos, é notável o crescimento dessa parceria”, explica Clara. “Hoje, ainda que o Brazilian Health Devices não seja mais a única ferramenta utilizada pela entidade para promover a indústria nacional no cenário externo, ele é o principal projeto da ABIMO na área de internacionalização e figura como o mais estratégico”.

Uma década e meia após sua criação, o grande objetivo do projeto setorial Brazilian Health Devices continua sendo fortalecer a base da indústria nacional e levar o setor a um novo patamar. Muito já foi conquistado, mas ainda há muito caminho a percorrer.

BHD EM NÚMEROS

  • 16 anos de projeto
  • 8 renovações
  • Valor aporte Apex-Brasil para próximo biênio: R$ 16.900.000,00
  • Valor contrapartida ABIMO para próximo biênio: R$ 10.881.371,80
  • Total R$ 27.781.371,80
  • Participação em 30 feiras internacionais
  • Exportações BR 2016: US$ 671,6 milhões
  • Mercados-Alvo para 2017: 20
  • Exportações BHD 2016: US$ 80 milhões
  • Metas Exportações BHD 2017: US$ 96 milhões
  • Metas Exportações BHD 2018: US$ 110 milhões
  • Metas Exportações BHD 2019: US$ 128 milhões

DADOS GERAIS DO SETOR

  • A indústria do setor gera cerca de 70 mil postos de trabalho no Brasil
  • O valor da produção do setor em 2016 no Brasil chegou a R$ 9 bilhões
  • Estimam-se cerca de 4.000 empresas do setor no Brasil
  • Tendência prevista para os próximos dois anos é de recuperação com crescimento do faturamento do setor inferior a 5% ao ano.

Deixe seu comentário