Doação de órgãos e tecidos é destaque em palestra no Hospital Estadual Materno-Infantil

1998
A coordenadora Katiuscia durante a palestra sobre captação de órgãos e tecidos. Foto: Yasmine de Paiva

O Hospital Estadual Materno-Infantil Dr. Jurandir do Nascimento (HMI), da SES-GO – Governo de Goiás, sediou na quarta-feira (19), palestra sobre a importância da conscientização acerca da doação de órgãos e tecidos, ministrada pela coordenadora de Captação de Órgãos e Tecidos, Katiúscia Freitas, da Central Estadual de Notificação, Captação e Distribuição de Órgãos de Goiás (CNCDO-GO). Voltada para toda a equipe multiprofissional da unidade, a palestra objetivou desmistificar esse assunto, considerado ainda um tabu entre as famílias.

Hoje, no Brasil, o sistema de captação de órgãos e tecidos está bem consolidado e regulado, tanto que 95% das captações no país são realizadas pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Segundo o Ministério da Saúde, 33.000 pessoas estão na fila de espera para receber algum órgão ou tecido, sendo 316 em Goiás. “De 2010 para cá, o aumento foi surpreendente. Conseguimos elevar absurdamente a captação nos hospitais credenciados, através das notificações de suas Comissões Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante”, comentou Katiúscia.

Outro ponto abordado durante a palestra foi o processo para o paciente se tornar um potencial doador, desde a detecção, avaliação, protocolos para confirmação, entrevista familiar, distribuição e logística dos órgãos e tecidos. “O trabalho da captação começa na sensibilização da equipe multiprofissional responsável por aquele paciente. A partir dela, toda a comunicação com a família pode ser feita de modo efetivo. Cada doação é uma doação especial. É um trabalho com um resultado muito bonito, apesar de lidarmos com a morte. Cabe a nós mostrar para a família doadora que a doação é um milagre para os receptores”, finalizou.

Deixe seu comentário