Estão abertas as inscrições para Programa de Médicos Monitores 2018 – Ultrassonografia Geral

55

Para quem procura um upgrade na remuneração e aperfeiçoamento completo na área de ultrassonografia, o Programa de Médicos Monitores no Cetrus pode ser considerado o caminho mais eficaz. Com carga horária total de quatro mil horas e duração de dois anos, o Programa abrange todos os módulos regulares na área de Ultrassonografia Geral e é credenciado junto ao CBR – Colégio Brasileiro de Radiologia. O curso se divide entre aulas teóricas e práticas em que o aluno atua como monitor em cursos e diretamente no atendimento de pacientes, sob coordenação de profissionais experientes na área de diagnóstico por imagem.

Para o processo seletivo aberto, com aulas iniciando em 8 de janeiro de 2018, o Cetrus oferece vagas para as unidades de São Paulo (Av. Jabaquara, 474) e Belo Horizonte (Rua Sergipe, 1.014). Os quatro primeiros colocados se tornarão Membros Aperfeiçoandos do CBR, tendo acesso garantido a tudo que o CBR promove.

“Depois do primeiro ano já passamos a atender em hospitais e parceiros do Cetrus, além dos exames feitos na unidade, acompanhados sempre por profissionais reconhecidos”, conta o Dr. Glauber Souza Batista, de 32 anos, que veio do Rio de Janeiro após indicação de um colega; ele se formou e acabou ficando na equipe. Atualmente, o Cetrus realiza mais de 50 mil atendimentos gratuitos à população por ano na unidade de São Paulo.

No 1º e 2º ano de curso, os alunos participam da Prova do CBR, que avalia o programa credenciado. Se o aperfeiçoando obtiver pontuação igual ou maior que 7, será dispensado do exame da 1ª fase para a Prova de Título em US Geral, passando direto para a 2ª fase. Outro beneficio é que para prestar esta Prova de Título é necessário comprovar quatro anos de experiência na área, mas como membro aperfeiçoando do CBR, basta concluir os dois anos do programa.

Em comparação com a residência, o Dr. Glauber destaca o foco na área que pretende seguir. “Alguns residentes de radiologia acabam procurando também os cursos rápidos e a monitoria, já que querem ser ultrassonografistas, como no meu caso. A carga horária é parecida e encontramos as mesmas dificuldades do ambiente de trabalho real, que é o dia a dia do médico, mas com uma demanda maior de casos variados e na quantidade de pacientes atendidos”, completa.

“O médico que faz radiologia apresenta ao longo da residência menor vivência com os aparelhos de ultrassom do que o médico ultrassonografista. Assim como o ginecologista e o obstetra que veem pouco o ultrassom. Além de reforçar essa prática, a capacitação dá a possibilidade de remuneração diferenciada”, garante Vera Lúcia Tamborlim Gerente de Relacionamento, que trabalha há 18 anos no Cetrus.

Até dia 7 de dezembro, o Cetrus recebe inscrições para o processo seletivo, veja mais informações aqui. A seleção se dará em duas etapas: prova escrita com 5 (cinco) questões dissertativas; e análise de currículo e entrevistas. O resultado sai dia 12 de dezembro e o início das aulas será dia 8 de janeiro de 2018.

Informações: www.cetrus.com.br

Deixe seu comentário