Desospitalização – onde estamos e para onde vamos

    63
    Quando:
    30/10/2018@9:00 – 12:30
    2018-10-30T09:00:00-03:00
    2018-10-30T12:30:00-03:00
    Onde:
    SINDHOSP – Regional de Santo André (Auditório)
    Av. Pereira Barreto
    1395 - 112 - Torre Sul, Santo André - SP, 09190-610
    Brasil
    Custo
    Grátis
    Contato:
    (11) 4427-7047

    O Brasil envelheceu antes de enriquecer. Hoje o país soma cerca de 13% de idosos, e até 2050, um em cada três brasileiros será idoso.

    Com o aumento da longevidade, há uma mudança no perfil epidemiológico, mais semelhante com o de países desenvolvidos, deixando para trás moléstias infecciosas. Hoje estamos evoluindo para uma população grande de doentes crônicos, que em algum momento entra em uma demanda médico-hospitalar. Ao mesmo tempo, ainda existem diversos eventos agudos nessa população que necessita de transição.

    Nesse novo contexto epidemiológico, há necessidade urgente de se rever e discutir o modelo hospitalocêntrico do Brasil e encontrar saídas inovadoras que garantam a qualidade do atendimento, a segurança do paciente, a redução de custos para o sistema de saúde e o uso de leitos para casos graves e de maior complexidade.

    Segundo o médico Yussif Ali Mere Jr, presidente do SINDHOSP – Sindicato dos Hospitais, Clínicas e Laboratórios do Estado de São Paulo, existe na cultura do Brasil e dos brasileiros uma mentalidade hospitalocêntrica. “A maioria dos casos pode ser resolvida fora dos hospitais, mas a própria população acaba procurando o hospital por uma questão de resolubilidade”, constata.

    Nos últimos anos, diante da nova realidade brasileira, os especialistas têm discutido a desospitalização, ou seja, a retirada do paciente do ambiente hospitalar para dar continuidade aos cuidados e tratamentos em sua própria casa ou em hospitais de transição ou de cuidados paliativos. “Calcula-se uma economia de até 80% para os próprios hospitais, planos de saúde e seguradoras e até para o sistema público. Enquanto na outra ponta, a medida traz conforto e segurança ao paciente por mantê-lo longe dos altos riscos hospitalares e mais perto de seus familiares, tornando a atenção mais humanizada”, avalia Ali Mere Jr.

    O SINDHOSP, através do IEPAS – Instituto de Ensino e Pesquisa na Área da Saúde, realiza em Santo André (SP), o workshop intitulado DESOSPITALIZAÇÃO em 30 de outubro. O evento é dirigido a profissionais e médicos de hospitais, casas de saúde, homecares e demais serviços de saúde.

    Deixe seu comentário