IV Simpósio Internacional de Diagnóstico em Câncer de Pulmão

    155
    Quando:
    09/08/2019@8:00 – 10/08/2019@18:00
    2019-08-09T08:00:00-03:00
    2019-08-10T18:00:00-03:00
    Onde:
    Maksoud Plaza Hotel
    R. São Carlos do Pinhal
    424 - Bela Vista, São Paulo - SP, 01404-900
    Brasil

    O câncer de pulmão é o que causa mais mortes em todo o planeta, com 1,7 milhão de óbitos ao ano. Somente no Brasil, o Instituto Nacional de Câncer (Inca) estima que ocorram cerca de 18 mil casos novos entre homens e 12 mil entre mulheres a cada ano. Como costuma ocorrer na grande maioria dos tipos de câncer, quanto mais cedo a identificação ocorrer, maiores serão as chances de sucesso do tratamento. Justamente para apresentar os avanços nos métodos de diagnóstico desse tipo de câncer, acontece, em 9 e 10 de agosto, em São Paulo (SP), o IV Simpósio Internacional em Câncer de Pulmão Oncologia D’Or.

    “No Brasil, em muitas regiões, ainda há dificuldades para realizar o diagnóstico da doença, o que causa um impacto direto nos resultados do tratamento. Por isso, é muito importante um simpósio dedicado ao tema. Além disso, o fato de abordarmos o diagnóstico torna o evento eminentemente interativo e multidisciplinar”, explica a oncologista Clarissa Baldotto, uma das coordenadoras do evento. A médica destaca que muitos dos avanços do tratamento do câncer de pulmão estão diretamente atrelados à evolução dos métodos de diagnóstico.

    Ao todo serão 14 mesas, que vão abordar questões como “Aspectos Técnicos do Ultrassom Endoscópico”, “Endoscopia Respiratória e Pneumologia”, “Rastreamento de Câncer de Pulmão” e “Doença Avançada em Pacientes Idosos”. Haverá, no primeiro dia, a transmissão de uma cirurgia ao vivo com debate simultâneo. Ainda no dia 9, em paralelo com o Simpósio, ocorrerão o Workshop Internacional de Cirurgia Torácica Robótica e o Workshop de Endoscopia Respiratória e Pneumologia.

    Além de alguns dos principais nomes da oncologia nacional, o Simpósio terá a presença de palestrantes internacionais, entre os quais: Luis Herrera, professor da Universidade da Flórida e co-diretor do Centro Avançado de Cirurgia Robótica da Orlando Health, e Mark Dylewski, chefe de cirurgia torácica geral do Miami Cancer Institute (Estados Unidos).

    Deixe seu comentário