Webinar “Imunoterapia: O que você precisa saber”

    107
    Quando:
    28/08/2018@13:30 – 15:00
    2018-08-28T13:30:00-03:00
    2018-08-28T15:00:00-03:00
    Custo
    Grátis

    Em 28 de agosto, a Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama (FEMAMA) realiza o webinar “Imunoterapia: O Que Você Precisa Saber”. Com investimento social da Merck e apoio do Hospital Moinhos de Vento, o evento tem o objetivo de informar e esclarecer as principais dúvidas sobre a imunoterapia, estratégia que vem inovando na maneira de tratar o câncer.

    Uma das características da doença, que a torna difícil de ser combatida, é a capacidade de enganar o sistema imunológico. A modalidade mais inovadora da imunoterapia, ou imunomodulação, busca reverter isso, ensinando o corpo a identificar como ameaças as células doentes de se proliferarem ou ainda fornecendo mecanismos mais eficazes para combatê-las. Eleita pela Sociedade Americana de Oncologia Clínica (ASCO) como o maior avanço contra o câncer em 2017, a imunomodulação aplicada à oncologia, é um tratamento inovador, mas que ainda está em desenvolvimento.

    Para que os pacientes sintam-se cada vez mais empoderados e exerçam papel ativo nas decisões sobre seu diagnóstico e tratamento, é necessário que estejam bem informados sobre as alternativas disponíveis. “A oncologia, nos últimos anos, aumentou o ritmo da evolução em relação a tratamentos. Diferente de outras terapias, a imunoterapia pode não mirar no câncer diretamente, mas no sistema imunológico, para que ele mesmo detecte e combata a doença. Há evidências de que o tratamento funciona contra vários tipos de câncer, porém é importante ressaltar que, na maior parte dos casos, a imunomodulação ainda está em fase de pesquisas clínicas”, afirma Maira Caleffi, mastologista e presidente voluntária da FEMAMA.

    Historicamente, a imunoterapia precede o desenvolvimento da quimioterapia. Existem formas de imunoterapia que fazem uma estimulação inespecífica do sistema imunológico, como o BCG, o interferon e as interleucinas. Numa fase seguinte, desenvolveram-se anticorpos monoclonais contra alvos tumorais específicos e estimulação direta de células do sistema imunológico, que hoje já fazem parte do arsenal terapêutico contra vários tipos de cânceres, sendo utilizadas em alguns casos de câncer de mama, de pulmão, melanoma, sarcomas, câncer de bexiga, de células renais, colorretal, neoplasias hematológicas (linfomas, leucemias e mieloma).

    Para discutir as principais questões relacionadas aos tratamentos, o encontro contará com palestras ministradas por médicos, nas quais serão abordadas as perspectivas de tratamento, além do papel de profissionais de saúde e pacientes para contribuir com a consolidação de avanços da oncologia contemporânea. O webinar é voltado a pacientes com todos os tipos de câncer, profissionais de saúde e associações de pacientes em todo o Brasil.

    Deixe seu comentário