Eventos

Calendário de eventos

ago
16
sex
2019
I Simpósio de Oncologia Torácica – GBOT Sul
ago 16 – ago 17 dia inteiro

A individualização do tratamento do câncer de pulmão diante do avanço científico e tecnológico será um dos principais focos do I Simpósio GBOT Sul, que acontecerá, em Porto Alegre (RS), em 16 e 17 de agosto. “Houve uma evolução nas oportunidades e opções de tratamento, entre os quais o sequenciamento genético e a imunoterapia”, adianta a vice-presidente do Grupo Brasileiro de Oncologia Torácica (GBOT) e uma das organizadoras do evento, a médica oncologista e pesquisadora Dra. Ana Gelatti.

Integrante do Grupo Oncoclínicas Porto Alegre, a especialista exemplifica que a expectativa de sobrevida em cinco anos pode aumentar para próximo de 25% com uso da imunoterapia em pacientes com estágio mais avançado da doença. No entanto, para definir-se a estratégia de tratamento adequada é importante que o diagnóstico seja o mais preciso possível. Dra. Ana destaca que quando o diagnóstico do câncer de pulmão é realizado precocemente a sobrevida de cinco anos é superior a 50%. A precisão do diagnóstico envolve diversos fatores, entre os quais a qualidade do material retirado para biópsia e a avaliação molecular que analisa em torno de 300 genes, possibilitando a classificação dos tumores.

A tomografia com baixa dose de radiação também é usada no rastreamento da doença em pacientes de alto risco, como indivíduos entre 55 a 75 anos que fumaram uma carteira de cigarro por dia, durante 30 anos. Porém, os pacientes demoram a procurar um médico – 60 a 70% de todos os tumores malignos são diagnosticados quando a doença já está em estágio avançado.

Porto Alegre é a capital brasileira com maior número de fumantes. Embora o tabagismo seja a principal causa do câncer de pulmão, a especialista do Grupo Oncoclíncias Porto Alegre destaca que entre 15 a 20% dos casos não têm essa vinculação, sendo provocados por mutações genéticas ou outros tipos de exposição, como ao gás metano e substâncias químicas. “Por isto, é importante ficar alerta a sintomas como tosse crônica, perda de peso, dor no tórax e tosse com sangramento”.

Simpósio

O Simpósio terá em torno de 160 participantes, 40 convidados da Região Sul do país, além de renomados especialistas em oncologia torácica do Brasil. Além da Dra. Ana Gelatti, a inciativa contará com a participação de outros oncologistas integrantes do Grupo Oncoclínicas, como Dr. Alexei Peter dos Santos e Dr. Juliano Cé Coelho. Com vagas limitadas, a programação é dirigida a oncologistas clínicos, cirurgiões torácicos e oncológicos, radioterapeutas, pneumologistas, patologistas e outros profissionais com atuação na área.

Na abertura da programação, haverá o painel “O que esperar do futuro da imunoterapia no Câncer de Pulmão”, um debate com a participação dos especialistas Dr. Gilberto Castro Jr., médico titular do Centro de Oncologia do Hospital Sírio Libanês, SP; Dr. Carlos Barrios, Diretor do LACOG (Latin American Oncology Group) e Dr. Mauro Zukin, Diretor Técnico da Américas Oncologia (RJ). No sábado, ocorrerá a Aula Magna “Onde estamos para onde vamos: Como transpor para nossa realidade o rápido avanço tecnológico e científico no câncer de pulmão”, com a Dra. Clarissa Baldotto, oncologista da Rede D’Or e Diretora Executiva do GBOT (RJ). Além de painéis e palestras, ainda haverá três workshops: “Diagnóstico”; “Avaliação multidisciplinar na determinação terapêutica”; e “Discussão de casos clínicos”.

II Simpósio Internacional de Cardiologia @Windsor Barra Hotel
ago 16 – ago 17 dia inteiro

Estão abertas as inscrições para o II Simpósio Internacional de Cardiologia da Rede D’Or São Luiz, que será realizado nos dias 16 e 17 de agosto, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro (RJ). O evento reunirá palestrantes nacionais e internacionais, que irão discutir avanços recentes no diagnóstico e no tratamento das doenças cardíacas.

Entre os convidados internacionais estão Jeoren Bax, professor de Cardiologia e diretor de Imagiologia Cardíaca Não-Invasiva do Departamento de Cardiologia da Leiden University Medical Center, na Holanda, e o Renato Delascio Lopes, professor de Medicina no departamento de Medicina, Divisão de Cardiologia da Duke University School of Medicine, nos Estados Unidos.

ago
17
sáb
2019
2º Simpósio Internacional de Reconstrução de Orelha @Hospital St. Peter
ago 17 dia inteiro

O 2º Simpósio Internacional de Reconstrução de Orelha, dia 17 de agosto, no Hospital St. Peter, em São Paulo (SP), vai reunir alguns dos principais especialistas da América Latina como os brasileiros Ricardo Cavalcanti Ribeiro, chefe da divisão de cirurgia plástica do Gaffrée e Guinle, e Juarez M. Avelar, além do mexicano Alfonso Masse e dos bolivianos Dario L. Suarez, Jorge Monteiro.

Os problemas nas orelhas, que podem ser resolvidos cirurgicamente, atingem cerca de 5% da população.

O evento vai debater anomalias congênitas da orelha e em regiões vizinhas, microtia e malformações de ouvido, tratamento cirúrgico em orelhas de abano, além de apresentar as mais recentes novidades em técnicas de reconstrução de orelha.

ago
19
seg
2019
Simpósio do Dia Mundial da Saúde Sexual (DMSS) @Centro Médico de Ribeirão Preto
ago 19@19:30

Ribeirão Preto (SP) recebe, em 19 de agosto, o Simpósio do Dia Mundial da Saúde Sexual – em comemoração a data, celebrada em 4 de setembro. O evento tem como tema: “Educação sexual para todos: uma ponte para a saúde sexual” e as inscrições podem ser feitas até 16 de agosto.

O Simpósio é realizado pela Associação Mundial de Saúde Sexual – World Association of Sexual Health (WAS), pela Sociedade Brasileira de Estudos em Sexualidade Humana (SBRASH) e pelo Instituto de Estudos da Sexualidade em Ribeirão Preto (IES), é aberto a profissionais da saúde e ao público interessado.

Segundo o médico psiquiatra e sexólogo Arnaldo Barbieri, diretor do IES e delegado do Estado de São Paulo da SBRASH, o intuito do seminário é debater a saúde sexual da população. “O tema está cada vez mais em pauta e ainda é um tabu, infelizmente. Temos de tratar o assunto como qualidade de vida, por isso a importância do Simpósio. O encontro  abordará a relevância das pessoas conhecerem mais sobre as disfunções sexuais e seus tratamentos, além de uma oportunidade de se saber mais sobre as diversidades sexuais”, comenta.

Programação – O congresso contará com palestras dos principais estudiosos da área. Na programação está “Desejo sexual hipoativo” que será apresentada pelo médico Sílvio Franceschini. A médica ginecologista e obstetra Lúcia Lara falará sobre o “Uso da testosterona para o tratamento das disfunções sexuais femininas”. O médico psiquiatra Thiago Dornela Apolinário abordará “Orientação sexual e identidade de gênero”. A palestra “Abordagem biopsicossocial de um caso clínico de disfunção sexual masculina” encerra o evento com Arnaldo Barbieri.

ago
24
sáb
2019
I Simpósio Muldisciplinar de Inovação em Saúde
ago 24 dia inteiro

O evento tem o objetivo de promover o conhecimento de ferramentas inovadoras na área da saúde, além de proporcionar a troca de experiências inter profissionais. A ideia é debater sobre os novos horizontes do Mestrado Profissional e a contribuição que possui para o desenvolvimento do setor da saúde. Além de mostrar, as oportunidades existentes para inovar na área da saúde e as aplicações de design Thinking, e-health nos cuidados aos pacientes em áreas especificas, criação de Patentes entre outros pontos que podem influenciar positivamente no futuro da saúde e do paciente.

ago
26
seg
2019
1º Simpósio sobre Financiamento dos Sistemas de Saúde no Brasil @Faculdade São Leopoldo Mandic
ago 26@8:15 – 17:00

A Faculdade São Leopoldo Mandic, em Campinas (SP), realizará, no dia 26 de agosto, o 1º Simpósio – Financiamento dos Sistemas de Saúde no Brasil e os novos modelos de remuneração. O evento irá debater temas atuais focados na sustentabilidade do sistema de saúde.

Tanto o setor público como o privado passa por grandes desafios relativos ao envelhecimento da população e o aumento das doenças crônicas não transmissíveis, que vem impactando toda a área com aumento de custos relativos a incorporação tecnológica e a utilização dos serviços, sendo necessária a revisão dos processos de gestão e práticas clinicas de todo o sistema de saúde.

O evento contará com a presença de especialistas na área, entre eles o ex-governador do estado de São Paulo, médico e docente da Faculdade, Geraldo Alckmin e o ex-ministro da Saúde, médico infectologista e, também docente da Faculdade, Alexandre Padilha além de pesquisadores renomados nas áreas e gestores do setor privado.

“A Faculdade São Leopoldo Mandic segue atenta aos principais temas que estão em destaque na área da Saúde. O trabalho dos profissionais de saúde já está sendo impactado por mudanças na organização dos sistemas de saúde, seja pela incorporação de novas tecnologias, no modo de financiá-lo e de organizar o processo de trabalho, tanto no setor publico quanto no privado. Este evento tem bastante relevância para compreendermos a mudança do cenário para o setor, preparando os futuros profissionais e os que estão no mercado de trabalho e que podem conduzir uma mudança bem-sucedida para a área”, afirma Thiago Trapé, professor da SLMANDIC.

O Simpósio é realizado em parceria com o Colégio Brasileiro de Executivos da Saúde (CBEXS) e voltado para estudantes da graduação e pós-graduação das áreas de Saúde, gestores e profissionais do sistema público e suplementar da Saúde.

set
7
sáb
2019
VI Simpósio Internacional de Câncer Gastrointestinal @Fera Palace Hotel
set 7@9:00

A capital baiana foi escolhida para sediar o VI Simpósio Internacional de Câncer Gastrointestinal – Oncologia D’Or. O evento, que já está com inscrições abertas, será realizado no dia 7 de setembro. Com um dia inteiro de programação científica,  palestrantes nacionais e do exterior, a missão do encontro é discutir cases e inovações no tratamento dos cânceres de cólon, reto, esôfago, estômago, fígado e vias biliares. O médico Paulo Hoff, presidente da Oncologia D’Or, estrará presente no simpósio.

O Simpósio será dividido em seis módulos temáticos. O primeiro abordará os tumores iniciais e cirurgia no esôfago; o segundo englobará os localmente avançados e metastáticos no estômago, e o seguinte discutirá as neoplasias do fígado. Os três demais temas envolvem tumores do pâncreas, neuroendócrinos e câncer colorretal, consequentemente.

Dentre os convidados, destaca-se o pesquisador Marc Peeters, que é professor e chefe do Departamento de Oncologia do Hospital Universitário de Antuérpia e Coordenador do Centro Multidisciplinar da doença na cidade belga. A coordenação do evento é realizada pelos médicos Marcos Lyra (Hospital São Rafael), Maria de Lourdes de Oliveira (RJ), Maria Ignez Braghiroli (SP) e Markus Gigoni (CE).

Podem participar médicos, estudantes de Medicina e de outras áreas da saúde.

set
14
sáb
2019
11º Simpósio de Oncologia @Center Convention - Complexo Center Shopping
set 14@7:00 – 19:00

No dia 14 de setembro acontece em Uberlândia (MG) mais uma edição do Simpósio de Oncologia, evento que é uma iniciativa e promoção do Centro Oncológico do Triângulo – COT, do Grupo Oncoclínicas. Os participantes terão acesso a palestras, discussões, mesas redondas, apresentações de casos clínicos, além de uma apresentação musical que encerra o evento. As inscrições para a programação Médica e Multidisciplinar já estão abertas e podem ser feitas no site.

Além de médicos, estudantes e profissionais da área de saúde, toda a comunidade é convidada a participar do evento, que neste ano traz uma iniciativa inédita com palestras não técnicas visando o esclarecimento e conscientização sobre temas relacionados à saúde e ao câncer. Entre os assuntos que serão abordados estão: Câncer e mercado de trabalho, Dietas da Moda, Direitos do paciente com câncer, entre outros. Para participar do Simpósio nesta modalidade é necessário entrar em contato com a equipe do evento através do menu ‘Contato’ no site indicando o interesse.

Para a oncologista e diretora do Centro Oncológico do Triângulo, Valéria Ribeiro, oferecer a programação para a comunidade é uma grande conquista e um desejo antigo do COT. “Ao longo das edições nos preparamos e estudamos uma forma de trazer conteúdo relevante para a comunidade, compartilhando dicas e orientações de saúde com renomados especialistas. Acreditamos que será uma grande oportunidade para que a população esclareça dúvidas e adquira mais conhecimento sobre importantes assuntos do nosso cotidiano como as dietas da moda e os direitos da pessoa com câncer. Será imensamente prazeroso compartilhar esta experiência com a sociedade”, destaca a diretora.

A programação também conta com as atividades voltadas para as modalidades Médico e Multidisciplinar, orientadas por profissionais de renome nacional que abordarão temas pertinentes e novidades no tratamento do câncer. Entre os temas tratados estarão assuntos relacionados à Saúde da Mulher, Pulmão, Uro-oncologia, Cabeça e pescoço, Nutrição, Radioterapia e muito mais.

Inscrições

As inscrições das modalidades Médico e Multidisciplinar podem ser realizadas no site do evento, sendo que a quantidade de vagas é limitada. No dia do Simpósio, o credenciamento será feito apenas mediante a apresentação de um documento. No caso dos médicos será exigido o CRM, demais profissionais da saúde devem apresentar documento que comprove a atividade profissional e os estudantes um comprovante de matrícula em instituição de ensino.

set
23
seg
2019
XIII Simpósio de Oncobiologia @Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) - Campus Fundão
set 23 – set 25 dia inteiro

Estudantes e cientistas integrantes de grupos de pesquisa que estudam a biologia do câncer podem inscrever seus trabalhos no XIII Simpósio de Oncobiologia, que acontecerá entre os dias 23 e 25 de setembro, no Rio de Janeiro (RJ). O prazo final para a submissão de resumos acadêmicos é o dia 8 de agosto – e os trabalhos selecionados serão apresentados em sessões orais ou de pôster durante o evento.

Podem ser inscritos trabalhos de alunos de iniciação científica, mestrado, doutorado, pós-doutorado ou realizado por docentes e pesquisadores, nas seguintes subáreas: bioinformática, biologia celular, biologia estrutural, biologia molecular, educação e divulgação científica, glicobiologia, metabolismo, proteômica e metabolômica, regulação gênica, sinalização celular, terapia celular ou terapia com fármacos e produtos naturais.

Além da inscrição de trabalhos – qualquer pessoa interessada no tema da pesquisa científica em câncer pode participar do simpósio. O Simpósio de Oncobiologia é um evento anual do Programa de Oncobiologia, e conta com apoio da Fundação do Câncer. A programação completa será divulgada em breve.

O Programa de Oncobiologia é integrado por cerca de 300 cientistas que fazem pesquisa básica sobre o câncer em instituições públicas do Rio de Janeiro, como a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Instituto Nacional de Câncer (INCA), Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), entre outras.

Links importantes

Inscrições de trabalhos e submissão do resumo acadêmico, até o dia 8 de agosto: forms.gle/9WEHx3YhJ975Wm5H9

Instruções para a inscrição de trabalhos e envio do resumo: bit.ly/30lU7kd

Instruções para confecção de pôster: bit.ly/2NGjCve

Registration and Abstract guideline: bit.ly/2NIDnCl

Poster guideline: bit.ly/2XAOuwS

out
15
ter
2019
10° Simpósio Brasileiro de Hansenologia @Mar Hotel Conventions Recife
out 15 – out 18 dia inteiro

O Brasil ainda ocupa o segundo lugar no ranking mundial da hanseníase, e concentra 90% dos casos notificados nas Américas. A Índia é o país com mais casos, mas os dados de diversos países, apresentados pela Organização Mundial da Saúde (OMS), têm sido questionados pela Sociedade Brasileira de Hansenologia (SBH). Este cenário é resultado de uma série de problemas que vão desde a necessidade de capacitação de profissionais de saúde para o diagnóstico, até o desenvolvimento e implantação de estratégias de enfrentamento que consigam conscientizar a população – de pacientes até autoridades – e diagnosticar precocemente a doença para evitar sequelas e quebrar a cadeia de transmissão do bacilo causador da hanseníase. Para tratar do tema, a SBH realiza, de 15 a 18 de outubro, o 10° Simpósio Brasileiro de Hansenologia, na capital pernambucana, Recife.

O evento reunirá os maiores especialistas brasileiros e vários convidados estrangeiros para falar sobre as últimas pesquisas, tratamentos, políticas de combate à doença, mapeamento da hanseníase no país etc.

O Brasil registra cerca de 30 mil novos casos por ano de hanseníase – número próximo aos casos novos de HIV e AIDS. O controle da doença exige avaliação de contatos – a hanseníase é transmitida por vias aéreas superiores e por gotículas de saliva e estudos apontam que até 30% de casos novos podem ser encontrados entre os comunicantes (pessoas que convivem com o doente) examinados. Assim, para controlar a doença, é preciso avaliar os comunicantes, mas no Brasil, somente cerca de 8% de todos os casos são diagnosticados entre os contatos examinados, o que indica, segundo o presidente da SBH, Claudio Salgado, que os contatos são mal examinados pelo sistema, ou simplesmente não são examinados, mantendo a cadeia de transmissão da doença na comunidade.

“A heterogeneidade dos casos no país, o número preocupante de crianças com até 15 anos com a doença, o número baixo de diagnósticos nos estágios iniciais contrastando com o número alto de diagnósticos em pacientes com sequelas e em estágio avançado da doença apontam para uma endemia oculta no Brasil. A doença não está sendo percebida”, alerta Salgado. Por este motivo, o tema do simpósio deste ano em Recife está focado na hanseníase como uma doença primariamente neural e que, portanto, deve ser diagnosticada precocemente, logo no surgimento dos primeiros sintomas, como dormências e outras alterações de sensibilidade na pele, mesmo antes do surgimento de manchas na pele.

Hansenologistas ligados à SBH têm alertado autoridades mundiais sobre o problema. Em 2018, assinaram artigo na mais importante publicação mundial que trata de doenças infecciosas – The Lancet Infectious Diseases – questionando o número de casos da Organização Mundial de Saúde (OMS). Como a hanseníase é uma doença intimamente ligada à pobreza, eles alertam para o fato de que não é possível que muitos países em condições socioeconômicas piores que o Brasil ou convivendo com crises políticas com agravamento das condições de vida da população não estejam diagnosticando a hanseníase e, consequentemente, outras doenças negligenciadas.