Grupo Oncoclínicas Radioterapia inicia atendimento infantil na Zona Norte do Rio de Janeiro

2275

A clínica Grupo Oncoclínicas Radioterapia acaba de iniciar atendimento infantil para radioterapia na unidade do Hospital de Câncer do Grupo Hospital Casa, no Rio Comprido, Zona Norte carioca. Para o atendimento assertivo e individualizado, a clínica passa a contar com a radio-oncologista dra. Cristiane Chaves – profissional com ampla experiência no tratamento radioterápico a crianças e adolescentes –, além de anestesia e sistema de imobilização, indispensáveis para proporcionar mais conforto e segurança aos pequenos durante o tratamento.

“Começar o atendimento infantil no Grupo Oncoclínicas Radioterapia com todo o suporte humano e técnico necessário garante que a qualidade e a humanização do tratamento dos pequenos pacientes sejam a nossa prioridade. Hoje, a radioterapia possui papel bem estabelecido para os tumores pediátricos dentro de uma filosofia multidisciplinar. Até 80% das crianças e adolescentes acometidos com câncer podem ser curados, desde que diagnosticados precocemente e tratados em centros especializados”, diz dra. Cristiane.

Além de serviços essenciais para sessões de radioterapia bem-sucedidas voltadas a crianças, a unidade Grupo Oncoclínicas Radioterapia – que também oferece atendimento a jovens, adultos e idosos – conta o que há de mais moderno para tratamentos radioterápicos e equipamentos de assistência integral, como a radioterapia de intensidade modulada em arco volumétrico (IMRT RapidArc) – técnica mais moderna e menos agressiva ao organismo do paciente –, a Braquiterapia Tridimensional (3D), a radioterapia guiada por imagem (IGRT), além de radiocirurgia de crânio e estereotáxica corpórea.

“Estar em um centro qualificado e humanizado proporciona a segurança e a confiança necessárias para que a família enfrente da melhor forma esse momento tão delicado e desafiador. Por isso, a importância do acolhimento e de estratégias específicas para as crianças”, completa a médica.

Na unidade, os pacientes também têm acesso a um equipamento de última geração – o Acelerador Linear VitalBeam. Isso porque os efeitos de toxicidade da radiação são consideravelmente reduzidos, quando essas técnicas são utilizadas em associação com a alta precisão no posicionamento do paciente, por meio de tratamentos guiados por imagens de tomografia em tempo real (IGRT via Cone-Beam CT).

60% dos pacientes oncológicos farão radioterapia em alguma etapa do seu tratamento

A radioterapia é uma modalidade de tratamento não invasivo que se utiliza de radiações ionizantes para destruir ou danificar as células tumorais. A radiação, ao emergir do aparelho, incide sobre o local a ser tratado de maneira com que os órgãos e tecidos sadios adjacentes sejam preservados. O tratamento pode ocorrer de maneira fracionada, ou seja, o paciente recebe a dose prescrita distribuída em frações diárias, ou pode ocorrer em uma única exposição. A radioterapia, além de ser utilizada, em alguns casos, como tratamento exclusivo, também pode complementar outros tipos de tratamentos e/ou procedimentos, como cirurgias ou quimioterapias.

“Estima-se que cerca de 60% dos pacientes oncológicos farão radioterapia em alguma etapa do seu tratamento. Ela atua estrategicamente não apenas como medida curativa, mas também no controle local do câncer e no alívio de sintomas. Isso significa que a radioterapia é de fundamental importância para o bem-estar e a qualidade de vida do paciente”, explica o rádio-oncologista dr. Henrique Braga, responsável pela coordenação de radioterapia do Grupo Oncoclínicas no Rio de Janeiro.

Deixe seu comentário