Hospital de Base de Bauru debate comunicação efetiva entre equipes e pacientes

174

“Cada pessoa tem a sua própria construção de significados que é influenciada por toda uma carga cultural adquirida durante anos (família, escola, experiências, etc) e isso pode interferir na maneira de se comunicar com os outros”. Se na vida cotidiana é comum que essas diferenças causem ruídos e gerem conflitos nos processos de comunicação, no ambiente hospitalar a falta de efetividade de comunicação pode impactar negativamente na assistência prestada aos pacientes. “Ao contrário, ao alcançar a efetividade no diálogo e fluxo de informações podemos reduzir a ocorrência de erros e, assim, melhorar a segurança do paciente”, pontua a psicóloga Érika Godoi, que atua na área de Educação Continuada do Hospital de Base de Bauru (SP).

“A forma de se expressar, a escolha das palavras, o tom da voz ou o meio utilizado na comunicação influenciam a forma como o ouvinte interpretará a mensagem recebida. É preciso prestar atenção nos detalhes e ficar atento para usar técnicas capazes de evitar ruídos e conflitos”, completa a psicóloga.

O tema será o foco de uma capacitação oferecida à equipe de assistência do Hospital de Base de Bauru, unidade sob gestão da Famesp, nos dias 7 e 8 de agosto. Cerca de 200 colaboradores devem participar dos debates que serão conduzidos pela psicóloga Érika Godoi. O curso vai abordar todos os processos, fluxos e protocolos que envolvem a comunicação da equipe e desta com os pacientes no cotidiano do hospital: trocas de plantão entre equipes; prescrição médica por ordem verbal (permitida somente em salas de cirurgia e durante intercorrências com os pacientes); situações de emergências e em todos os registros do prontuário do paciente.

Segundo Érika, responsável por esse curso junto à equipe de Educação Continuada do Hospital de Base, a boa comunicação agrega significativa contribuição para o desempenho da equipe e, consequentemente, para a qualidade da assistência prestada, já que o objetivo fim de toda instituição é a excelência.

Desde 2012, quando a Famesp assumiu a gestão do Hospital de Base, a instituição já promoveu mais de mil cursos de capacitação para sua equipe, envolvendo o conjunto dos seus 1.222 colaboradores.

5 dicas essenciais para uma comunicação eficaz no ambiente hospitalar:

  •          Utilizar frases simples e sucintas (poucas palavras, ser breve);
  •          Evitar palavras com duplo sentido;
  •          Cuidado nas emoções para não atrapalhar a interpretação;
  •          Atentar-se para as necessidades de entendimento do ouvinte;
  •          Ser específico, não generalizar pessoas, nem situações;
  •          Cuidado com o tom de voz, para não ser agressivo ou impositivo;
  •          Atentar-se para que ruídos do ambiente não interfiram na mensagem.

Fonte: psicóloga Érika Godoi, Educação Continuada do HBB

Deixe seu comentário