Hospital em Volta Redonda promove festa para paciente após transplante

635

“Vou para a casa de coração e alma limpos, cheios de motivos para agradecer. Agora é só alegria. Vencer tudo isso foi especial, melhor ainda com essa festa surpresa. Este é um hospital de ponta. É isso que eu costumo dizer para as pessoas”. O relato é de Genildo Silva Nogueira, paciente do Hospital Unimed Volta Redonda (RJ), que recebeu a tão esperada alta após um Transplante de Medula Óssea. E para comemorar, a equipe do hospital preparou uma festa surpresa com direito a bolo, docinhos e muitas fotos.

Genildo é morador de Campos dos Goytacazes e foi submetido ao procedimento por conta de um Mieloma Múltiplo. Ele ficou internado por 46 dias e seguiu para a casa com a esperança de dias melhores. “Eu tenho certeza que agora será só alegria. Nós recebemos somente aquilo que suportamos. Em relação ao hospital, só tenho motivos para agradecer. Em dias em que ele estava triste, a equipe levantava seu astral. Aqui eu nunca me senti sozinha. Eles formam uma família e isso faz toda a diferença”, disse a esposa Margareth Machado de Carvalho.

Essa não é a primeira festa realizada pela equipe do Hospital Unimed Volta Redonda. A unidade investe em ações para promover a melhor experiência ao paciente. Esse cuidado é extensivo ao acompanhante e familiar. Todas as iniciativas são feitas para que eles se sintam acolhidos, cuidando também da saúde emocional e viabilizando a entrega do Jeito Unimed de Cuidar – cultura organizacional assumida pela Cooperativa nas relações com colaborador, médico cooperado, cliente e fornecedor – aconteça de forma eficaz. O JUC tem como base os pilares Gentileza, Respeito e Competência.

Referência na região

Reforçando o compromisso em cuidar das pessoas, o Hospital Unimed Volta Redonda investe constantemente em serviços de alta complexidade e humanização. Referência em tratamentos na região Sul Fluminense, o Hospital é o único da região autorizado e habilitado a realizar Transplantes de Medula Óssea dos tipos autólogo e alogênico. O primeiro procedimento foi feito em 2012, do tipo autólogo, que utiliza material genético do próprio paciente.

As equipes de atendimento trabalham em parceria com profissionais altamente especializados e de referência do Inca (Instituto Nacional do Câncer), com mais de 34 anos de experiência, coordenadas pelo Dr. Luis Fernando Bouzas, membro da Câmara Técnica de TMO do SNT / SAS/ Ministério da Saúde, Coordenador Nacional do Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (Redome) e ex-diretor do CEMO / INCA / MS. Desde a autorização para transplantes, o Hospital já realizou 35 procedimentos, com atendimento multidisciplinar e integral. A unidade hospitalar foi autorizada a realizar transplantes do tipo alogênico, entre aparentados, em 2015.

Deixe seu comentário