Hospital Sírio-Libanês forma gestores de programas de residência em saúde

180

Com o respaldo dos resultados já obtidos na edição anterior, começa agora, neste mês de abril, a 2ª edição do Curso de Aperfeiçoamento em Gestão de Programas de Residência em Saúde no SUS. Trata-se de uma das muitas iniciativas educacionais desenvolvidas pelo Instituto Sírio-Libanês de Ensino e Pesquisa (IEP/HSL), em parceria com o Ministério da Saúde, que integram o Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do SUS (PROADI-SUS). Serão duas turmas, a primeira com início no próximo dia 18 e a segunda, uma semana depois, no dia 25. Juntas, formarão 210 profissionais de todo o país.

A expertise do IEP/HSL nas áreas de gestão, saúde e educação, somada às políticas públicas no âmbito da formação em saúde, fundamentam o curso que tem o objetivo de capacitar profissionais para a construção e gestão de programas de residência médica e de outras áreas profissionais da saúde, no contexto do SUS, em diferentes municípios de todo o Brasil.

O fortalecimento do SUS, por meio da capacitação dos profissionais, é o principal compromisso social do curso, face à necessidade de melhoria das práticas do setor, particularmente no que se refere à organização do sistema de saúde para o enfrentamento da heterogeneidade e da complexidade do atual quadro epidemiológico, socioeconômico e cultural da população brasileira.

Segundo o Dr. Luiz Fernando Lima Reis, diretor de Ensino e Pesquisa do Hospital Sírio-Libanês, as iniciativas educacionais de apoio ao SUS, desenvolvidas pelo IEP/HSL, contribuem para uma maior qualificação dos profissionais do sistema público de saúde e, consequentemente, para a melhoria da qualidade da atenção à população brasileira.

“No triênio 2015-2017, todos os projetos educacionais do IEP/HSL de apoio ao SUS irão atingir 36.938 profissionais de 274 municípios de todo o país. São números expressivos, com grande impacto na eficiência e efetividade dos serviços de saúde”, afirma.

Assim como na 1ª edição do Curso de Aperfeiçoamento em Gestão de Programas de Residência em Saúde no SUS, realizada em 2014, a 2ª edição atende municípios pré-selecionados pelo Ministério da Saúde, dentro de critérios pré-definidos, entre os quais o de serem locais que podem abrir curso de medicina, mas não contam com programas de residência médica. Na 1ª edição foram 70 cidades beneficiadas e nesta segunda serão 117.

Exemplos de resultados positivos

Um dos municípios atendidos na 1ª edição, em 2014, foi Palmas (TO). Juliana Ramos Bruno, coordenadora geral da Escola de Saúde Pública da Fundação Escola de Saúde Pública de Palmas (Fesp), é uma das formandas e conta que a realização do curso coincidiu com a criação da primeira turma do Programa Integrado de Residência Médica e Multiprofissional da Fesp. Assim, o curso contribuiu para repensarem todo o modelo inicialmente estruturado para rede de saúde do município.

“Reavaliamos toda a metodologia, pudemos melhorar o currículo que havíamos estabelecido e reposicionar todos os atores envolvidos no processo. Com isso, nossa primeira turma de residentes, formada em 2016, já foi contemplada com todos os conhecimentos adquiridos durante o curso”, explica Juliana Bruno.

Desde 2014, a Fesp já formou 92 alunos em seu curso de Residência Médica e a grande maioria atua em Palmas, sendo que muitos deles se transformaram em preceptores do Programa de Residência Médica e Multiprofissional. Para Juliana Bruno, o curso foi muito forte e resolutivo e as ferramentas oferecidas pelo IEP/HSL a aproximou da realidade de uma residência médica, que é algo vivo e não abstrato.

A 2ª edição do Curso de Aperfeiçoamento em Gestão de Programas de Residência em Saúde no SUS será realizada de abril a setembro deste ano, em encontros presenciais e com atividades à distância. O conteúdo terá como eixos principais a simulação da prática de gestão de programas de residência em saúde e o contexto real do trabalho de gestão de programas de residência em saúde no SUS.

Proadi-SUS

Criado em 2009, o PROADI-SUS é resultado de uma parceria do Ministério da Saúde (MS) e as entidades de saúde portadoras do Certificado de Entidade Beneficente de Assistência Social em Saúde (CEBAS-SAÚDE) e de Reconhecida Excelência. O Programa é regulamentado pela Lei Federal nº 12.101. As ações do Hospital Sírio-Libanês se enquadram neste programa e têm a aprovação e o monitoramento do Ministério da Saúde. São projetos focados em assistência, ensino e pesquisa e englobam estudos de avaliação, incorporação de tecnologias e capacitação de recursos humanos.

Deixe seu comentário