Número de cirurgias bariátricas pelo SUS cresceu 450% desde 2003

204

O número de cirurgias bariátricas pelo Sistema Único de Saúde (SUS) cresceu 450% desde 2003. Há 15 anos eram realizadas 1.813 cirurgias e no ano passado foram registrados 10 mil procedimentos. Referência no país em cirurgia bariátrica, o Hospital Angelina Caron, em Campina Grande do Sul, na Região Metropolitana de Curitiba (PR), realiza mais de um terço dos procedimentos desse tipo no país, atraindo pacientes de todos os estados. No Paraná o percentual de participação sobe para 60% das 5,8 mil cirurgias.

As 3,5 mil cirurgias bariátricas realizadas em 2017 pelo hospital representam um crescimento de 57% se comparado com o resultado obtido pela instituição no ano anterior. Em 2016, o Hospital Angelina Caron já havia conquistado um resultado recorde com 2.253 cirurgias bariátricas pelo SUS.

Para comparação, o número de cirurgias realizadas no Angelina Caron é superior ao realizado em toda a Região Sudeste: 3.554 contra 3.056.

Segundo o cirurgião do Angelina Caron, Pedro Henrique Lambach Caron, o hospital é referência pelo uso de técnicas menos invasivas e na realização de procedimentos em pacientes com nível elevado de obesidade e outras doenças associadas.

“O número expressivo de cirurgias bariátricas realizadas no Caron está relacionado com as técnicas utilizadas, aliadas à tecnologia de ponta e corpo clínico em constante atualização. Além das centenas de casos de alta complexidade e risco realizados no hospital”, menciona.

As técnicas de cirurgias bariátricas mais realizadas foram o bypass gástrico (que reduz drasticamente o tamanho e o volume do estômago que fica em torno de 50ml, além de realizar um desvio no intestino) e a gastrectomia vertical (também chamada de sleeve gástrico, na qual o estômago do paciente obeso é grampeado em forma de tubo, reduzindo o seu volume para 80 a 100ml).
 
Obesidade no Brasil

•        Segundo o IBGE, mais de 82 milhões de brasileiros estão acima do peso.
•        O número acima revela que seis a cada dez pessoas estão com excesso de peso.
•        A Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM) aponta que a cada ano são realizadas mais de 100 mil cirurgias bariátricas no Brasil. O número cresceu mais de 500% em 15 anos.
•        O país figura entre as oito nações que mais realizam cirurgias bariátricas para cada cem mil obesos.
 
Dúvidas sobre os cuidados antes e depois da cirurgia

•        A escolha da técnica utilizada é do médico. O especialista avalia qual o melhor procedimento para cada caso e o que oferece o menor risco.
•        O ideal é parar de beber e fumar. O consumo de bebidas alcóolicas e o hábito de fumar aumentam as chances de complicação para qualquer procedimento. Alcoolismo é uma contraindicação para a cirurgia.
•        O paciente precisa seguir à risca a reeducação alimentar e a realização de atividade física. A cirurgia não faz milagre. O paciente precisa compreender que o procedimento é o primeiro – e grande – passo para uma mudança de vida.
•        A perda de peso costuma ocorrer até um ano e meio após a cirurgia. Depois deste período é preciso dedicação e atenção para manter o peso. O ganho costuma estar relacionado com a falta de adesão à mudança dos hábitos de vida.

Deixe seu comentário