Santa Casa de Mauá humaniza atendimento com a presença de assistente social

674

Em 15 de maio é comemorado o Dia do Assistente Social, uma profissão presente há 80 anos na história do Brasil. Para a Santa Casa de Mauá (SP), esse profissional tem grande importância na humanização e no atendimento e, de acordo com a assistente social da instituição, Maria de Fátima Fernandes, constantemente surgem circunstâncias adversas que justificam a sua presença.

A área de serviço social é responsável pelas implicações sociais, emocionais, culturais e econômicas que influenciam diretamente na situação de saúde, ou que possam desencadear, agravar ou estagnar a enfermidade. Ela lida com os fenômenos referentes ao ser humano em seu processo de interação com a realidade social, tendo como objetivo a mobilização e desenvolvimento das potencialidades humanas e sociais.

Para Maria de Fátima, o trabalho do assistente social dentro do hospital é a engrenagem fundamental para a assistência e apoio em situações conflituosas e problemáticas, já que se depara com a fragilidade do ser humano.

“Nesses momentos, utilizamos os recursos do Serviço Social para garantir atendimento preciso ao paciente que envolve o cuidado de forma geral. Soma-se a isso, a importância da escuta, da abordagem amorosa e da acolhida em momento tão importante que é do enfrentamento de uma doença. Podemos auxiliar o ser humano na busca de sua saúde através desta prática – a compreensão, a empatia, o respeito e o amor para com o ser humano”, revela a profissional.

O Ministério da Saúde aponta oito atribuições para o assistente social na área de saúde: discutir com os usuários as situações problema; fazer acompanhamento social do tratamento da saúde; estimular o usuário a participar do seu tratamento de saúde; discutir com os demais membros da equipe de saúde sobre a problemática do paciente, interpretando a situação social dele; informar e discutir com os usuários acerca dos direitos sociais, mobilizando-o ao exercício da cidadania; elaborar relatórios sociais e pareceres sobre matérias específicas do Serviço Social; participar de reuniões técnicas da equipe interdisciplinar e discutir com os familiares sobre a necessidade de apoio na recuperação e prevenção da saúde do paciente.

Deixe seu comentário