Santa Casa de São José dos Campos chega aos 120 anos

363

A Santa Casa de São José dos Campos (SP) celebra, nesta quinta-feira (15), 120 anos de atendimento à saúde. A constante busca por aprimoramento dos serviços prestados vem possibilitando a ampliação de atendimento. Nos últimos quatro anos, por exemplo, foi registrado um aumento de 17,2% no número de internações. Já os registros relacionados ao Pronto-Atendimento tiveram elevação de 15,8% no período.

Com relação aos atendimentos ambulatoriais e clínicos, a alta foi de 101,4% e, neste ano (de janeiro a julho), superaram em 26,2% o número registrado em 2014. Mais da metade da demanda da Santa Casa é usuária do SUS (Sistema Único de Saúde).

A entidade filantrópica está instalada em 17 mil metros quadrados. No decorrer do tempo, a instituição modernizou suas estruturas – que possui mais de 200 leitos e 600 médicos credenciados em seu corpo clínico – em complexo composto por Pronto Atendimento Adulto, Pediátrico e Maternidade – 24 horas; Centro avançado de imagens diagnósticas; Unidade de Transplante Hepático, referência no Estado de São Paulo; Hemodiálise; Central de Cirurgias Bariátrica; Unidade especializada em Gestante de Alto Risco, Unidade de Tratamento de Queimaduras, UTI adulto e neonatal. Cinco clínicas ambulatoriais – Sul, Centro, Jacareí, Caraguatatuba e Cruzeiro – completam o trabalho ofertado.

“Em mais de um século de história, conquistamos feitos importantes, como por exemplo, a classificação de hospital estruturante pelo Governo do Estado de São Paulo, título concedido aos hospitais que atendem SUS e que são bem avaliados, se tornando referência em atendimentos complexos na região e Estado”, pontua o provedor da Santa Casa de São José dos Campos, Dr. Ivã Molina. “Conseguimos também a acreditação Nível 3 pela Organização Nacional de Acreditação, seguindo normas rígidas de qualidade em assistência médica e segurança do paciente; a realização do primeiro transplante de fígado;  o início das cirurgias bariátricas; a ampliação da maternidade; a habilitação para a realização de cirurgias de alta complexidade cardiovasculares e ortopédicas; a ampliação da UTI neonatal e a realização do internato e residência médica dentro do hospital. Tudo isso ampliou nossa atuação e conquistou o respeito e reconhecimento da população”, lista Molina.

Confiança

A população de São José dos Campos confia na atuação da Santa Casa. Dos 270.244 atendimentos prestados de janeiro a julho, 191.221 foram à pacientes da cidade (70,7%).

O trabalho humanizado executado ao longo da trajetória de mais de um século tornou a instituição filantrópica referência, não apenas em sua cidade sede, mas em todo o arredor – até julho, 27,6% das pessoas atendidas vieram de outros municípios da Região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte. Pacientes da Serra da Mantiqueira, incluindo o Sul de Minas Gerais, também buscam atendimento na entidade.

“Com transparência e seriedade, atuamos diariamente sob o lema ‘Acolher, Respeitar e Cuidar’ de todos os nossos pacientes, sejam públicos ou privados, com excelência, humanização e gestão”, ressalta o provedor. “Viabilizar todos os compromissos, com o sub financiamento do SUS, não é fácil e é grande desafio, mas não nos deixamos abater, pois a Santa Casa foi criada com o objetivo de atender a população carente, com qualidade e dignidade. Assim é há 120 anos e assim continuará sendo”, conclui.

Exposição

Toda a trajetória e evolução da Santa Casa de São José dos Campos serão retratadas em exposição no Shopping Vale Sul, de 15 de agosto (dia do aniversário da instituição) a 6 de setembro.

A estrutura estará montada em frente ao cinema, na qual 18 imagens contarão a atuação de mais de um século da entidade filantrópica.

A Santa Casa de São José dos Campos foi fundada em 15 de agosto de 1899 com uma missa realizada na Igreja Matriz. A ideia da criação da instituição partiu do Cônego Francisco de Oliveira Lima, com o objetivo de atender pessoas carentes. A sede inicial ficava na Rua Coronel Monteiro, mas em 1932 mudou-se para o seu atual endereço, onde eram atendidos, além de toda a comunidade, feridos da revolução de 32.

Deixe seu comentário