São Paulo ganha marco arquitetônico com Novo Centro de Ensino e Pesquisa Albert Einstein – Campus Cecília e Abram Szajman

458

Grandes projetos arquitetônicos naturalmente se associam a marcos históricos na construção de cidades brasileiras. Foi assim com os prédios do centro histórico de São Paulo, que representaram a era do café e o crescimento da cidade, e até mesmo com a construção de Brasília, em 1960, que definiu o início de um novo momento em todo o Brasil. Em 2018, a Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein se coloca à frente do seu tempo e inicia mais um grande marco na arquitetura e na história da educação e pesquisa em saúde do país – o início das obras do Novo Centro de Ensino e Pesquisa Albert Einstein – Campus Cecília e Abram Szajman.

Localizado no bairro do Morumbi, zona sul paulistana, o novo prédio que iniciou a construção em novembro de 2018 abrigará a Faculdade Israelita de Ciências da Saúde Albert Einstein e o Centro de Pesquisa do Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa. “Este é mais um acontecimento que traduz aquilo que tem movido a nossa instituição desde as suas origens: a sua capacidade de sonhar, de imaginar o futuro e, principalmente, de compartilhar esse sonho com outras pessoas”, afirma Sidney Klajner, presidente da Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein.

O projeto arquitetônico do novo prédio é assinado pelo renomado arquiteto israelo-americano Moshe Safdie. O arquiteto já conduziu grandes obras ao redor do mundo, como o Museu do Holocausto, Aeroporto de Telaviv e o Hotel Sands Marina Bay em Singapura. Em seu projeto para o Einstein, Safdie priorizou locais mais amplos, iluminados e o contato com a natureza, a fim de tornar o ambiente mais humano, zelando pelo bem-estar de seus frequentadores. “Não queremos apenas formar bons médicos. Queremos formar as novas gerações de líderes na área da saúde capazes de promover saúde de forma humanizada, e o projeto arquitetônico tem isso como premissa”, comenta Klajner.

Todo o design do prédio foi construído para elevar a capacidade de concentração, estimular a interação e promover o bem-estar dos estudantes, focado na experiência do usuário.  Composto por grandes áreas verdes e priorizando a iluminação natural, dois edifícios integrarão o novo campus: o Edifício de Ensino Alzira Denise Hertzog da Silva – destinado aos cursos de graduação, extensão e técnicos, e o Edifício de Pesquisa Família Moise Safra, que abrigará a área de pesquisa. Ambos serão interligados por um grande átrio central com espaços destinados à biblioteca, salas de aulas, laboratórios, auditório e cafeteria. Está prevista uma passarela conectando o campus à unidade Morumbi do Hospital Israelita Albert Einstein. “A proximidade com o Hospital Israelita Albert Einstein permitirá uma maior troca entre alunos e pesquisadores com os profissionais que atuam no dia a dia do hospital”, complementa Klajner.

O Novo Centro de Ensino e Pesquisa Albert Einstein – Campus Cecília e Abram Szajman contará ainda com maior eficiência energética, presença de vegetação e tecnologia de automação de ponta garantindo sustentabilidade ao prédio. A previsão de conclusão das obras é em 2021.

Deixe seu comentário