Saúde XXI e Felicidade

117

Contribuir com um diagnóstico, visões, prognósticos e propostas para a Saúde no Brasil, com base em Estudos da CVA Solutions e com opiniões de importantes especialistas e empresários de hospitais públicos e privados, planos de saúde, laboratórios de análises clínicas e empresas de tecnologia. Esse é o objetivo do livro “Saúde XXI e Felicidade”, escrito por Sandro Cimatti, sócio-diretor da CVA Solutions – empresa de consultoria e pesquisa de mercado que será lançado no dia 10 de dezembro.

Além de apresentar os resultados do recente estudo da CVA Solutions sobre A Saúde e Felicidade no Brasil (realizado em maio 2018), com a opinião de mais de 6.400 entrevistados em todo o Brasil, o livro apresenta importantes contribuições de artigos de nomes como: Dr. Flávio Bitter (Bradesco Saúde e Mediservice), Dr. Maurício Lopes (SulAmérica Saúde), Dr. Orlando Fittipladi Junior (Unimed do Brasil), Dr. Paulo Chapchap (Hospital Sírio Libanês), Dr. Leandro Reis Tavares (Rede D´Or São Luiz), Dr. Antonio José Rodrigues Pereira (Hospital das Clínicas da FMUSP), Dra. Jeane Mike Tsutsui e Dr. Marcelo Jenne Mimica (Laboratório Fleury Medicina e Saúde), Dr. Bernardo Dória (Laboratório Hermes Pardini), Dr. Sérgio Mena Barreto (ABRAFARMA), Dr. Leandro Caldeira (Gympass), Dra. Patricia Naufal (Morumbi Health), Dr. Plinio Targa e Dr. Gustavo Frigieri (Braincare).

Fruto de robusta pesquisa, o livro “Saúde XXI e Felicidade” conta com cinco capítulos. O primeiro é voltado para uma explanação sobre A evolução da Medicina e da Saúde ao longo da história; o segundo fala sobre a Felicidade Sustentável (estudo realizado pela empresa em 2016); o terceiro detalha o Estudo sobre a Saúde e Felicidade no Brasil (de maio de 2018); o quarto sobre Economia da Saúde; e o quinto apresenta um Prognóstico sobre a Saúde no Brasil, na visão de empresas líderes da área de saúde.

“É possível proporcionar mais saúde e bem-estar aos usuários de planos de saúde com custos mais baixos. Para tanto, deve-se reduzir os desperdícios do sistema e estimular as pessoas a cuidarem melhor de sua própria saúde. Dentre os desperdícios, há o uso exagerado do pronto-atendimento para pequenas intercorrências, ausência de médico de família, que leva à procura por médicos especialistas; realização de exames desnecessários, internações hospitalares desnecessárias e a não conclusão do tratamento prescrito pelo médico”, comenta o autor Sandro Cimatti.

Em sua análise sobre As Perspectivas da Saúde no Brasil, dentro do capítulo sobre Economia da Saúde, Cimatti destaca a importância em alocar maior investimento em atendimento primário e prevenção de doenças, incentivo à formação de médicos clínicos gerais, para facilitar o atendimento à população por médicos de família e o estímulo e facilitação do acesso à prática de atividades esportivas para combater o sedentarismo e as doenças decorrentes dele.

“Se os diferentes atores da saúde trabalharem de forma coordenada e focada no “resultado final (valor) para o paciente”, poderemos ter mais qualidade na saúde, com melhor distribuição dos recursos existentes, com menos desperdício, que hoje representa 33% do valor gasto com saúde no Brasil”, afirma Sandro Cimatti.

Veja vídeo sobre a pesquisa e o livro: cvasolutions.com.br/pt/estudo-cva-xxi-e-felicidade

Deixe seu comentário