Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica promove discussão sobre biossimilares oncológicos

821

Em 29 de novembro a Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC) promoveu um debate científico sobre biossimilares oncológicos, com a presença de médicos, farmacêuticos e enfermeiros. O evento foi realizado na capital paulista em parceria com a Biomm, farmacêutica pioneira em biotecnologia no Brasil.

“A vantagem dos biossimilares é que possuem a mesma eficácia dos medicamentos de referência, mas com o preço significativamente mais baixo”, afirmou o presidente da SBOC, Sérgio Simon, um dos palestrantes do evento. Simon lembrou, porém, que este mercado demanda planejamento e investimentos de longo prazo. “Menos de 10% dos medicamentos desenvolvidos chegam ao mercado e o custo médio de desenvolvimento é de $2 bilhões”, disse o presidente da SBOC.

Já a médica oncologista, Dra. Débora Gagliato, que também apresentou dados sobre conceitos importantes no desenvolvimento de Biossimilares, reforçou que os medicamentos biológicos possuem impacto considerável nos gastos relacionados à indústria farmacêutica. “A projeção é que a aprovação de medicamentos biológicos deve aumentar consideravelmente ao longo dos próximos anos, com impacto importante em custos e acesso à medicação para pacientes. Nesse sentido, o desenvolvimento e avaliação de Biossimilares poderá potencialmente permitir redução de custos e maior acesso a essa importante classe de medicamentos”.

O evento também teve o apoio da Sociedade de Clínica Oncológica Americana e da Celltrion Healthcare.

Deixe seu comentário