Técnica inovadora com pacientes em ventilação mecânica pode reduzir óbitos e tempo de internação

476

Um estudo desenvolvido por especialistas do Hospital Moinhos de Vento, de Porto Alegre (RS), foi premiado como melhor trabalho do 11º Simpósio de Fisioterapia em Terapia Intensiva. A pesquisa recebeu o primeiro lugar na categoria Profissional em evento realizado no Hospital Albert Einstein, em São Paulo (SP), nos dias 7 e 8 de abril. Trata-se de uma nova técnica para remover secreção em pacientes que estão em ventilação mecânica, podendo reduzir o tempo de internação na UTI e óbitos.

“O uso do suporte ventilatório deixa os pacientes mais suscetíveis ao acúmulo de secreção em vias aéreas. Isso pode levar ao quadro de pneumonia e também a necessidade de maior tempo de utilização da ventilação mecânica”, ressalta Márcio Camillis, do Serviço de Fisioterapia do Hospital Moinhos de Vento e responsável pelo desenvolvimento da pesquisa.

O estudo clínico realizado com 102 pacientes comparou o uso do aparelho de insuflação e desinflação, utilizado rotineiramente na instituição, em pacientes que não apresentam doenças neuromusculares. O objetivo é evidenciar que o dispositivo também pode ser usado em pacientes internados por outros motivos. Os resultados demonstraram que a utilização deste recurso apresentou maior eficácia em relação aos métodos convencionais, com aumento na média de eliminação de secreção de 1,3gr para 2,5gr.

“A pesquisa é considerada inovadora e uma quebra de paradigmas nas condutas de fisioterapia respiratória no Centro de Terapia Intensiva, agregando mais um recurso terapêutico para reabilitação dos pacientes de alta complexidade”, conclui Camillis.

A pesquisa foi desenvolvida também pela equipe do Serviço de Fisioterapia da instituição, e dos médicos Cassiano Teixeira e Regis Rosa do Centro de Terapia Intensiva Adulto (CTIA).

Deixe seu comentário