Artigo: Humanização na área de Radiologia

13564

Atualmente vemos muito a palavra humanização, mas qual o significado em plena época de avanços tecnológicos e digitais?

Humanização é o ato de humanizar, se tornar mais humano e empático o atendimento, quando lidamos com tratamento de pessoas e apoio a saúde, onde devemos nos preocupar com a forma que iremos atuar com esses pacientes, pois na maioria das vezes são pessoas com necessidades especiais, seja de atenção ou cuidados e os profissionais da área de saúde devem ter conhecimentos específicos em suas áreas de atuação.

Devemos entender, compreender a condição do paciente e entender que nosso papel é fundamental para tornar esse momento menos apreensivo, assim na área de radiologia os profissionais devem se qualificar no sentido de sempre prestar um bom atendimento e, procurar oferecer aos pacientes todas as orientações necessárias para a realização de um bom exame.

Seguindo um dos parágrafos do código de ética dos profissionais de radiologia, o mesmo afirma que o alvo de toda a atenção do tecnólogo, técnico e auxiliar radiologia é o paciente em benefício do qual deverá agir com o máximo de zelo e o melhor de sua capacidade técnica e profissional.

Sendo assim, os profissionais devem buscar uma qualificação diferenciada, pois após analisar muitas matrizes curriculares percebi que essa disciplina não faz parte das componentes curriculares, devendo entender que como diz o código de ética profissional o foco é o bom atendimento aos pacientes.

Não se pode ter outro interesse que não seja o de servir da melhor forma possível, ser servidor do outro sem ver quem é esse outro, é uma relação de suma importância, pois a qualidade do atendimento e até da resposta de um bom exame ou tratamento depende disso.

Uma evolução educacional constante em ter preocupação de saber das suas limitações profissionais e após identificar, buscar esse conhecimento é fundamental, onde a diferença entre os profissionais está no seu conhecimento e a forma que irá aplica-lo.

Atualmente existem no Brasil vários programas de qualificação profissional de boa qualidade e acessível aos mesmos, pois o profissional que não tem tempo para se qualificar e não tem essa preocupação esta deixando uma lacuna na sua formação, sendo que os departamentos de diagnósticos por imagens estão em atualizações constantes, e os hospitais estão cada vez mais, preocupados com a excelência nos serviços prestados.

Participo de programas de educação há quase 20 anos e vejo que os profissionais após conseguir uma colocação abrem mão da educação continuada, sendo esse o principal erro e vale frisar que aplicamos em nossa rotina de trabalho o que aprendemos através das publicações ou as trocas de experiências em congressos, simpósios, onde a não participação deste profissional, perde a oportunidade de se atualizar.

Finalizando gostaria de deixar a seguinte mensagem: lembre-se que somos limitados a nossa profissão e que a evolução tecnológica é constante, com isso busque sempre se atualizar e assim você estará se alimentando de conhecimentos específicos, onde todos ganham, pois você estará mais preparado e atualizado, os pacientes serão melhores atendidos, investigados e a prestação dos serviços de saúde melhoram como um todo, pois o objetivo sempre será oferecer o melhor e mais humanizado atendimento aos nossos pacientes.

 

Lucivaldo Santos é empresário fundador e Diretor do Instituto Cimas de Ensino (www.institutocimas.com.br). Técnico, tecnólogo em Radiologia, especialista em anatomia para o diagnóstico por imagens. Atualmente trabalha na Unifesp no departamento de diagnósticos por imagens e Diretor do Instituto Cimas de Ensino. Co-autor dos livros: “Tecnologia Radiológica e Diagnóstico por Imagem: guia para ensino e aprendizado” e “Enfermagem em Diagnóstico por Imagem”

Deixe seu comentário