Maternidade Nossa Senhora de Lourdes promove Fórum Perinatal de Goiás

436

A Maternidade Nossa Senhora de Lourdes, de Goiânia (GO), por meio de uma parceria entre os setores de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Qualidade, promoveu na manhã de terça-feira (6), mais uma edição do Fórum Perinatal goiano, um encontro mensal itinerante idealizado pela Superintendência de Políticas de Atenção Integral à Saúde, da Secretaria de Estado de Saúde de Goiás (Spais/SES-GO). O tema proposto pela MNSL foi “Humanização com Foco Assistenciais às Mães e Recém-Nascidos”. Pela primeira vez, o evento, que tem como objetivo discutir temas sobre a saúde perinatal, foi organizado por uma instituição. Até o último encontro, o fórum era planejado pela Superintendência e as unidades apenas ofereciam seu espaço para as discussões. O grupo participante é formado por representantes da SES-GO, dos conselhos de classe, das universidades, dos hospitais e maternidades da Rede Cegonha goianos, dos hospitais com leitos de unidade de terapia (UTI) neoprivados e das Secretarias Municipais de Saúde (SMS) de Goiânia e Anápolis.

Após a presidente do Fórum, Lilian Ghannam, dar início ao evento agradecendo a disposição e iniciativa da MNSL, a coordenadora de Fisioterapia da Maternidade, Nayara Oliveira, ministrou sobre a Humanização na Unidade de Cuidados Intermediários Neonatais (Ucin). “Um bebê que precisa de mais cuidados pode receber até 150 estímulos dolorosos por dia dentro da Ucin e, hoje, se sabe que um recém nascido sente mais dor do que um adulto, por isso é preciso que tenhamos formas alternativas de minimizar o sofrimento deles”. Segundo a profissional, a unidade adota medidas como a terapia aquática, uso de redinha, posicionamento alto e Método Canguru com o intuito de proporcionar o máximo de conforto e dignidade aos pacientes.

Dando continuidade à explicação sobre as formas encontradas pela MNSL para humanizar o atendimento, a supervisora de Enfermagem da unidade, Juliana Carvalho, mudou o enfoque para as gestantes e ministrou sobre o Cuidado Amigo da Mulher (CAM). A enfermeira listou aos presentes todos os direitos que a Portaria 1.153/CAM, de 22 de maio de 2014, do Ministério da Saúde, garante às mulheres que buscam assistência na Maternidade para realizar o parto. O direito a ser acompanhado por uma pessoa de sua livre escolha, a receber líquidos e alimentos durante o trabalho de parto, entre outros foram explicitados por ela. “É preciso estar ao lado da paciente e explicar a ela todos os procedimentos pelos quais ela for submetida”, acrescentou a palestrante.

A amamentação também foi destaque durante o evento. A fonoaudióloga da MNSL, Marilene Bueno, ministrou sobre os “10 Passos para o Sucesso da Amamentação”. “Não obrigamos as mães a amamentarem quando não querem, mas explicamos a elas todos os benefícios que o ato garante ao bebê e esclarecemos os mitos sobre o assunto”, informou. Para finalizar, o analista de Qualidade e presidente do Núcleo de Segurança do Paciente (NSP) da unidade, Igor Bezerra, explicou sobre os processos realizados pelo setor para garantir o bem estar dos pacientes. “Trabalhamos com processos sistêmicos e análise estratégica, pois todas as atividades são passíveis de erro, mas por meio de uma metodologia programada, conseguimos disseminar as informações e reduzir ao máximo qualquer falha”, explicou.

Deixe seu comentário