Entidade cadastra profissionais de saúde para atuarem como voluntários em situações com múltiplas vítimas

1199

As recentes tragédias no Brasil, como o rompimento da Barragem em Brumadinho (MG) e o ataque à escola Raul Brasil, em Suzano (SP), deu início a uma grande ação solidária da SBAIT: o cadastramento de profissionais de saúde para o Plano Nacional de Catástrofe. O objetivo é criar um banco de dados nacional de profissionais da área médica que possam ser acionados para ajudar em situações com múltiplas vítimas. Para participar, o profissional precisa entrar no site www.sbait.org.br e fazer seu cadastro gratuitamente.

O Plano Nacional de Catástrofe da SBAIT possui duas linhas de atuação: uma delas é a assistência presencial e a outra, à distância, através da troca de experiência e auxílio por Telemedicina. Pode se inscrever todo tipo de profissional da área médica, entre eles, médicos, enfermeiros, bombeiros, técnicos de enfermagem, etc.

“No mesmo dia em que ocorreu a tragédia de Brumadinho, entramos em contato com médicos que estavam trabalhando diretamente no atendimento às vítimas e colocamos nosso Plano Nacional de Catástrofe à disposição. Dessa forma, poderíamos reunir, via teleconferência, médicos de vários locais do mundo para trocar informações sobre o atendimento dos feridos, caso fosse necessário”, explica. “Mas nós percebemos que poderíamos, além de contribuir com conhecimento, contribuir também com “mão de obra” voluntária. Daí surgiu a ideia de criarmos este banco de dados”, destaca o presidente da SBAIT, Dr. Tércio de Campos.

A troca de experiências intermediada pela SBAIT foi de suma importância durante o incêndio da Boate Kiss, que, em 2013, matou 242 pessoas e deixou outras 680 feridas, na cidade de Santa Maria, no Rio Grande do Sul. “Na ocasião, médicos do mundo todo, inclusive que já tinham feito atendimento de caso semelhante, se reuniram, através da Telemedicina, para ajudar na melhor forma de atendimento às vítimas. A experiência de todos contribuiu demais”, comenta Campos.

“Queremos criar uma estrutura para que este naco seja muito efetivo em situações que demandam este tipo de atendimento”, reforça o presidente da SBAIT. “Em ocorrências com múltiplas vítimas, é fundamental unirmos forças. Dessa forma, conseguimos uma mobilização rápida, eficiente e com “mão de obra” qualificada”, destaca Campos.

Deixe seu comentário