40% das pessoas com hipotireoidismo não estão com o tratamento adequado

24

O hipotireoidismo é uma disfunção endócrina muito prevalente, que aumenta com a idade e ocorre em cerca de 2% a 15% na população, mais predominantemente no sexo feminino. “Na pós menopausa, cerca de 15% das mulheres apresentam hipotireoidismo, que é a produção insuficiente dos hormônios da tireoide. E essa disfunção da glândula é muito relevante, pois quase 40% das pessoas que têm hipotireoidismo não atingem o alvo terapêutico, ou seja, não estão com o tratamento adequado”, comenta Dra. Gisah Amaral, endocrinologista das comissões científica e organizadora do 19° Encontro Brasileiro de Tireoide 2020 (EBT), que acontece em 30 e 31 de outubro.

A endocrinologista alerta que dentro desse percentual fora do alvo terapêutico, 80% das pessoas apresentam falha na adesão ao tratamento, feito com o hormônio sintético (idêntico ao biológico) chamado levotiroxina.

Pacientes com hipotireoidismo apresentam maior prevalência de doenças autoimunes como a celíaca e a gastrite atrófica, que atrapalham a absorção da levotiroxina. Cirurgias restritivas como a bariátrica também alteram o PH gástrico e absorção intestinal do medicamento. “Vitaminas, suplementos, cálcio e ferro também podem interferir nessa absorção. Mas, sem dúvida, a não adesão ao tratamento é a maior causa de falha no alvo terapêutico”, complementa Dra. Gisah.

O que acontece quando o paciente não toma o medicamento conforme indicado pelo médico:

  • Doses a menos levam aos sinais próprios do hipotireoidismo: cansaço, pele seca, queda de cabelo, constipação, cansaço, desânimo. Nos idosos, pode ocorrer a perda de massa óssea, o que leva à osteoporose, uma doença silenciosa. Além disso, podem ocorrer arritmia cardíaca.
  • Doses excessivas levam aos sintomas do hipertireoidismo: perda de apetite, intestino solto, fraqueza nos músculos, queda de cabelo.

Para melhor adesão ao tratamento, a endocrinologista do EBT 2020 dá as seguintes dicas:

– Se há dificuldade de tomar a levotiroxina pela manhã, em jejum, tente duas horas antes ou duas horas depois do almoço. “O importante é seguir a rotina e tomar o medicamento com estômago vazio”;

– Para crianças e adultos também, a medicação pode ser feita à noite, cerca de uma hora e meia após o jantar;

– A levotiroxina não pode ser ingerida com outros medicamentos ao mesmo tempo. É importante esperar um intervalo de pelo menos uma hora;

– Não é recomendado ingerir levotiroxina feita por manipulação, pois as doses para composição deste medicamento são muito precisas;

– Caso seus exames indiquem que seu tratamento não está causando efeito, converse com seu médico para ajuste na rotina de ingestão do medicamento e nas dosagens.

Hipotireoidismo faz parte da grade científica do 19º Encontro Brasileiro de Tireoide, evento que visa unir interesses de clínicos, estudantes e comunidade acadêmica, divulgando novos conhecimentos, promovendo a atualização clínica e incentivando a formação de jovens pesquisadores. Em razão da pandemia, esta será a primeira edição online do evento.

Informações: www.ebt2020.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.