COC mostra valor da doação de sangue para salvar vida de alguém próximo

A pessoa com câncer, em algum momento do curso da doença, talvez precise receber sangue ou um componente dele. Como os pacientes oncológicos não podem ser doadoras, o Centro de Oncologia vai em busca da solidariedade de parentes e amigos. Neste mês de julho, o COC realiza uma campanha de conscientização com aqueles que já testemunharam o valor da doação para salvar a vida de alguém próximo.

A campanha “Doação de Sangue, um ato de amor ao próximo” é realizada pelo Centro de Hematologia, Hemoterapia e Terapia Celular de Campinas, em parceria com o COC. Nos próximos dias 18 e 25 de julho, profissionais estarão na sede do Centro de Oncologia Campinas para esclarecer pacientes, familiares e acompanhantes sobre o ato e os benefícios de doar sangue – cada litro pode salvar até quatro vidas.

Palestras também serão ministradas aos colaboradores do COC, para ampliar os conhecimentos e a rede solidária. O objetivo é captar, por meio de informações e conscientização, novos voluntários para realizar a doação entre os dias 1 e 31 de agosto, no Centro de Hematologia.

A corrente do bem no Centro de Oncologia Campinas é uma iniciativa direcionada a ajudar a reestabelecer os estoques dos bancos de sangue do Brasil, bastante comprometidos pela pandemia do novo Coronavírus. “Na oncologia, trabalhamos com um grupo amplo de pacientes, desde recém-nascidos até idosos. Por vezes se faz necessária uma transfusão, principalmente de hemácias e plaquetas. A baixa nas doações coloca em risco muitas vidas”, reforça a médica Mary da Silva Thereza, do Centro de Oncologia Campinas.

A solidariedade já presente nas pessoas que acompanham a rotina dos pacientes de câncer pode ser estendida a todos os que dependem da doação para sobreviver. São laços de apoio que o Centro de Oncologia busca fortalecer e sensibilizar com a campanha. “Como temos uma grande dificuldade nas doações, é importante que todos que estejam envolvidos na realidade de um paciente oncológico passem a fazer doações, independentemente de o sangue ser ou não utilizado por um conhecido. Temos de ter em mente que em algum momento alguém vai precisar”, reafirma a médica do COC.

Dados do Ministério da Saúde indicam que apenas 1,7% da população brasileira colaboram regularmente com os bancos de sangue. No Brasil, tanto a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) quanto o Ministério da Saúde determinaram que neoplasias malignas são impeditivos para a doação.

O uso de quimioterápicos, a radioterapia, os medicamentos para combater o câncer e a própria condição de saúde do paciente oncológico são fatores que excluem as pessoas com câncer da lista de potenciais doadores, ainda que a doença tenha sido superada há tempos. “Mesmo curado, a pessoa com câncer não é doadora pelos critérios das agências de saúde do Brasil. Por isso é importante que quem ela conheça possa fazer essa doação por ela” reforça Mary Thereza.

Ter a possibilidade de compartilhar um gesto de amor, acrescenta a médica, é uma atitude da qual dependem muitas vidas. “Mais importante é a gente pensar sempre que o outro pode precisar da nossa ajuda, e assim podemos ajudar com algo que é bem tranquilo e seguro.”

Campanha

Sensibilizar amigos e familiares de pacientes em tratamento oncológico, bem como os colaboradores do Centro de Oncologia de Campinas, para conquistar novos doadores de sangue está entre os objetivos da campanha “Doar sangue, um ato de amor ao próximo”. Um dos desafios da captação de doadores é fazer com que a doação de sangue seja convertida em uma experiência que acrescente valor positivo ao doador.

Os hemocomponentes obtidos através de uma doação de sangue – hemácias, o plasma fresco congelado, os concentrados de plaquetas e o crioprecipitado – podem salvar até quatro vidas por litro doado.

Na oncologia, pacientes em terapia antineoplásica possuem um consumo elevado de hemocomponentes, principalmente concentrados de hemácias para correção de anemia sintomática e concentrados de plaquetas para correção de sangramentos devido aos efeitos secundários da quimioterapia.

Durante os dias da campanha, estandes divulgarão o Serviço de Hemoterapia (Centro de Hematologia, Hemoterapia e Terapia Celular). Haverá panfletagem e sensibilização de candidatos à doação, com informações básicas sobre a iniciativa. Também serão esclarecidos os critérios de aptidão/inaptidão para candidatos e realizado o pré-agendamento de candidatos à doação, que poderá ser feita entre os dias 1º e 31 de agosto, na sede do Centro de Hematologia, Hemoterapia e Terapia Celular de Campinas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.