Contabilidade organizada é fundamental para médicos e profissionais da saúde manterem suas clínicas lucrativas

Em uma empresa que busca crescimento ou espera manter-se em pé sobre uma base sólida, apoiar-se em uma contabilidade organizada é ponto primordial. O setor é um dos pilares de uma companhia forte porque, entre outros motivos, expõe a clareza na gestão. E esta é uma máxima que vale para qualquer atividade, inclusive na área da saúde. É essencial para médicos e profissionais deste ramo manter a devida organização neste delicado setor.

Este é o diagnóstico apontado por Éber Feltrim, consultor de negócios e CEO da SIS Consultoria. O especialista aponta que é por meio de uma contabilidade que o empresário pode conhecer o valor de seus ativos e passivos, ter visibilidade sobre receitas, custos e despesas, conhecer a rentabilidade e a lucratividade e principalmente entender a produtividade da equipe. “Através desses dados, o gestor pode realizar um bom planejamento estratégico e tributário na tomada de decisões”, destaca.

Éber lembra que existe uma contabilidade específica para a área da saúde, o que envolve a compreensão de legislações, além de conhecimento especializado em questões jurídicas e contábeis. “E, por se tratar de uma atividade de profissionais regulamentada por conselhos federais e regionais, é importante ter especialistas envolvidos com essas questões”, aponta.

Uma contabilidade focada na área da saúde pode, inclusive, conseguir redução de tributos o que proporciona uma menor carga tributária para os consultórios. “Esse cuidado proporcionar uma diminuição significativa no final do mês”, destaca o CEO da SIS Consultoria.

Um profissional contábil preparado vai permitir otimizar processos e até mesmo aumentar o lucro. Éber alerta que, com o registro de todas as informações pertinentes para a contabilidade, é possível ter uma visão geral de como está a empresa e o que pode ser feito inclusive para aumentar a produtividade e, por consequência, os lucros. “Outro ponto que podemos destacar é a possibilidade de levar mais um benefício no atendimento dos pacientes”, ressalta Feltrim.

E não há “regra” que determine a necessidade de manter uma contabilidade na própria estrutura ou terceirizar, segundo Éber. “Independentemente do formato de trabalho, o empresário deve manter contato próximo com o contador e ter em mente que esse profissional deve ter habilidades pessoais, entendimento do negócio e participação ativa no processo de gestão, sendo, especialistas no assunto, estando habituados às constantes alterações na legislação trabalhista e fiscal”, conclui.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.