Crise e falta de vagas para a diálise reúnem mais de 16 mil pessoas em manifestações pelo Brasil

204

A Associação Brasileira dos Centros de Diálise e Transplantes (ABCDT) promoveu na última quinta-feira (29), o Dia D da Diálise. A ação, fruto da campanha “vidas importam, a diálise não pode parar”, ocorreu simultaneamente em mais de 40 cidades do país, mobilizando mais de 16 mil pessoas em defesa do tratamento renal. Imprensa, redes clínicas, indústrias, médicos, equipes multidisciplinares e familiares de pacientes com doenças renais estiveram presentes para apoiar a causa. Nas redes sociais, campanha digital alcançou mais de 150 mil pessoas.

Dentre as cidades que receberam o maior número de pessoas estão: São Paulo (SP); Salvador (BA); Brasília (DF); São Mateus (ES); Belo Horizonte (MG); Belém (PA); Porto Alegre (RS); Recife (PE); Rio de Janeiro (RJ); Joinville (SC) e Palmas (TO). O evento contou com a participação de mais de 200 clínicas de nefrologia que ofereceram materiais explicativos sobre os tratamentos, além de aferição de pressão arterial, simulação de hemodiálise e teste glicêmico para os participantes.

A iniciativa buscou mobilizar os governos municipais, estudais e federal de investimentos para a hemodiálise, fundamental para a sobrevivência de mais de 123 mil pacientes renais crônicos no Brasil que dependem do tratamento para manter uma vida próxima do normal. Entre os parlamentares que abraçaram a causa e receberam agradecimento da ABCDT, estão o deputado federal Pedro Westphalen (RS) e deputada federal Tereza Nelma (AL).

O presidente da ABCDT, Yussif Ali Mere Júnior, celebra a repercussão da campanha: “A ação foi um sucesso e agradecemos especialmente a atuação dos pacientes, que mesmo com suas batalhas diárias, protagonizaram esse movimento! Em diferentes municípios, inúmeras pessoas se mobilizaram em prol de uma causa nobre e necessária. Um grande público auxiliou na repercussão positiva do Dia D e agora seguimos lutando em prol da causa da diálise no Brasil.”

As reivindicações da ABDCT no “Dia D” foram pela adequada remuneração do valor da sessão de hemodiálise e diálise peritoneal às mais de 700 clínicas de diálise que prestam serviços para o Sistema Único de Saúde (SUS), garantindo tratamento de qualidade e acesso para os pacientes renais crônicos. Há anos, o valor pago pelo Ministério da Saúde está abaixo do custo real e não acompanha a cotação do mercado. Grande parte dos insumos, como produtos e maquinários são importados, além de gastos com dissídios trabalhistas, folha de pagamento, água, energia e impostos. Com essas despesas e a grave diferença de valor, clínicas ameaçam encerrar suas atividades pela falta de recursos para compra de insumos para o atendimento aos pacientes.

Abaixo Assinado

A ABCDT organizou um abaixo assinado iniciado no Dia D e agora segue com a versão online das assinaturas manifestando ao Governo Federal sua grande preocupação com a vida de milhares de pacientes renais crônicos no Brasil. Interessados em conhecer melhor a causa e contribuir com a assinatura online podem acessar este link. A lista com as assinaturas impressas e digitais serão entregues ao Ministro da Saúde, em reunião prevista para a 1ª quinzena de setembro.

Deixe seu comentário