Defasagem de preços ameaça atendimento de pacientes renais que realizam diálise

Bolsas manipuladas

Diversas unidades de saúde e hospitais do Brasil usam diariamente soluções para o tratamento de substituição renal (diálise). Dentre essas soluções está o Duosol®, uma solução pronta para uso produzida pelos Laboratórios B. Braun, que possui maior estabilidade evitando a contaminação e é utilizada por pacientes em todo o Brasil que fazem diálise em ambiente de UTI. A composição eletrolítica do Duosol® se assemelha a do ser humano em condições hemodinâmicas normais, não sendo necessária nenhuma manipulação.

O laboratório teme que, muito em breve, não seja mais possível dar continuidade ao fornecimento deste medicamento no país, devido ao forte impacto das mudanças no cenário econômico registradas nos últimos 14 anos de atendimento à população brasileira, onde a elevação nos custos do produto não tem acompanhado os reajustes anuais concedidos pela CMED. Isso acontece especialmente pelo:

  • Aumento dos preços das matérias-primas;
  • Variação cambial do EURO (superior à inflação no período);
  • Custos de importação e frete interno (especialmente durante a pandemia registraram altas recorrentes).

Desta forma, o preço do Duosol® ficou defasado, (atualmente pratica-se no Brasil o menor preço em todo o mundo), além de sua comercialização causar prejuízo para a companhia, tornando sua comercialização e fornecimento inviáveis.

A alternativa ao Duosol ® são as bolsas semiprontas, onde são injetados outros componentes químicos, que acarretam: aumento de custos e carga de trabalho – principalmente da equipe de enfermagem que já costuma estar sobrecarregada em ambientes de terapia intensiva – e do risco de contaminação pela manipulação das soluções (risco de morte dos pacientes).

“Em um momento que se prioriza qualidade assistencial, redução de carga de trabalho da enfermagem e segurança do paciente, torna-se um retrocesso não utilizar uma solução completa, com bicarbonato, glicose e eletrólitos, inclusive cálcio, e que praticamente abole a manipulação da enfermagem à beira do leito”, explica Dr. Jose Cesar Batista Oliveira Filho, médico nefrologista.

Além do exposto, vale salientar que o uso de bolsas de diálise semiprontas pode gerar um custo extra para o sistema de saúde de aproximadamente R$ 370 milhões, caso a B. Braun interrompa a comercialização do Duosol® no Brasil.

“O Duosol® é uma alternativa importante, segura, eficaz e que gera economia ao sistema, pois trata-se de uma solução pronta, que reduz implicações e diminui os custos. Desde 2019, a B. Braun pede a reavaliação de um preço justo à CMED, evitando gastos com as soluções semiprontas imputados aos cofres públicos e privados”, reitera Camila Narischi, Gerente da Unidade de Negócios de Diálise e Oncologia da B. Braun Brasil.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.