Dr. Sten Westgard faz palestra magna no 1º Congresso Virtual da SBPC/ML

A SBPC/ML trouxe um dos maiores especialistas na área de qualidade de métodos e testes laboratoriais para fechar o primeiro dia do 1º Congresso Virtual da SBPC/ML. Com o tema “Como combater a COVID-19 com métodos de qualidade”, o professor Sten Westgard pode dividir com os congressistas sua experiência em qualidade e em testagens laboratoriais.

O Westgard QC, situado nos Estados Unidos, é um dos mais renomados institutos nas áreas de ciência de laboratório clínico, gerenciamento de qualidade e engenharia de software e incentiva a capacitação dos laboratórios em ferramentas que atestem a qualidade de seus exames. Para o incentivo das melhores práticas em laboratórios, o Instituto tem organizado e definido as “Regras de Westgard” (www.westgard.com).

“Todos os dias muitos testes são colocados no mercado com a intenção de ajudar no combate ao Covid-19. Apenas nos últimos seis meses, desde a chegada da pandemia, contabilizamos cerca de 811 testes para detecção do novo Coronavírus. E isso é um número absurdo. Porém nem todos são realmente confiáveis”, explicou o Prof. Westgard.

Durante a palestra Dr. Westgard, falou sobre as diferenças entre os principais tipos de testagem, RT-PCR (padrão ouro), testes rápidos, sorológicos de IgM e IgG e antígenos, testes ortogonais e quando e de que forma devem ser utilizados. O professor explicou que início da infecção por SARS-CoV-2, nos primeiros dias, a quantidade de vírus no organismo é tão baixa que nenhum teste consegue identificar a infecção. Após alguns dias, a quantidade de vírus aumenta e, assim, é possível detectá-lo pelo teste molecular RT-PCR (Padrão Ouro).

A realização destes exames e a precisão do resultado exige instalações e técnicas laboratoriais específicas de excelência e é capaz de detectar diretamente a presença de componentes específicos do genoma do vírus. “É importante que os laboratórios de análises tenham um rigoroso procedimento de controle de qualidade e, muitos laboratórios já estão utilizando as várias ferramentas para controle de qualidade”, explicou.

O professor finalizou sua palestra declarando que, com sua experiência, pode dizer que não há método perfeito para detecção da Covid-19. “Pode haver métodos perfeitos em um futuro próximo, mas não temos tempo agora para esperar por eles. Temos que trabalhar com combinações dos melhores métodos que temos até o momento para alcançar bons resultados na detecção rápida do SARS-CoV-2.”

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.