Einstein lança graduação em Odontologia, ampliando sua oferta de cursos superiores

O Brasil é o país com o maior número de dentistas em atividade no mundo. Apesar disso, registra dados deficitários quando o assunto é saúde bucal. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mais de 11% da população nunca visitou um dentista, ao passo que mais de 8 milhões de brasileiros acima dos 30 anos já usam prótese e 3 a cada 4 idosos não possuem nenhum dente.

A fim de melhorar essa realidade no futuro, a Faculdade Israelita de Ciências da Saúde Albert Einstein (FICSAE) passa a oferecer a Graduação em Odontologia.

“Mais do que aumentar o número de profissionais formados na área, nosso objetivo é promover a ascensão de dentistas com perfil empreendedor e transformadores do ambiente, olhando para fora das paredes do seu próprio consultório. Dessa forma, o sistema de saúde ganhará em eficiência, chegando com mais qualidade a quem precisa, e melhorando a vida das pessoas”, afirma Alexandre Holthausen, diretor-superintendente de Ensino do Einstein.

De acordo com a cirurgiã-dentista Leticia Bezinelli, coordenadora da nova graduação, a falta de cuidados bucais pode ser a porta de entrada para infecções no corpo, além de agravar doenças crônicas. E essa é uma das lições a serem aprendidas pelos alunos, para que eles reconheçam a importância da relação da saúde bucal com a saúde geral do indivíduo como condição fundamental para a promoção de saúde.

“Inflamações na gengiva ou nos tecidos de sustentação dos dentes e até mesmo as cáries podem ocasionar a entrada de bactérias na corrente sanguínea, fazendo com que o paciente desenvolva doenças pulmonares e cardíacas, além de dificultar a recuperação ou mesmo agravar outras doenças pré-existentes, como diabetes”, explica.

O currículo do curso de Odontologia do Einstein foi construído de forma integrada: disciplinas que tradicionalmente são ministradas separadamente foram unificadas. O método possibilita que professores diferentes lecionem um mesmo módulo, demonstrando a relação e a concretude dos diferentes conceitos trabalhados, permitindo que o aluno tenha uma visão completa da profissão.

A grade curricular foi dividida em cinco eixos: Ético-Humanista, Atenção Primária em Saúde, Integração Saúde Bucal-Saúde Geral, Técnico-científico e Gestão Profissional e Inovação; sendo que um dos pontos fundamentais é a interdisciplinaridade, com ênfase em forma rum profissional sem fragmentações, capaz de articular os diversos saberes de maneira crítica e criativa.

“São diferenciais do nosso curso a disciplina de Gestão e Inovação, presente em todos os semestres, a fim de desenvolver um profissional empreendedor, disposto a liderar projetos e iniciativas de inovação no âmbito público e privado. O futuro cirurgião-dentista também será capaz de realizar a gestão estrutural, tributária e financeira de consultórios, clínicas e demais serviços de saúde. Outro ponto importante são as 900 horas de estágio supervisionado desde o primeiro até o último ano”, destaca Leticia.

O Einstein tem tradição de mais de três décadas de ensino e é um polo de gestão em saúde, tecnologia e inteligência artificial. O estágio de Odontologia oferece ao aluno uma profunda imersão nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) e nos hospitais públicos geridos pelo Sistema Einstein, permitindo a convivência cotidiana com paciente e usuários, para entender suas reais necessidades.

“Desde o primeiro ano do curso, os alunos estão inseridos nas UBS, nas quais realizam visitas e intervenções na comunidade, nos espaços internos e externos, acompanham atividades teóricas e práticas e ampliam gradativamente suas ações de maneira interdisciplinar e em rede. Eles podem, entre outras coisas, acompanhar o planejamento estratégico das equipes da UBS e participar das atividades intersetoriais, desenvolvendo habilidades e competências necessárias para a prática em diferentes complexidades, como escolas, creches, espaços comunitários e domiciliares”, enfatiza a coordenadora.

Além do mergulho na rede pública, o Einstein disponibiliza a estrutura de uma grande organização de saúde, e abre as portas do Hospital no Morumbi, de seu Centro de Inovação Tecnológica (CIT), do Innovation Lab e da Eretz.bio.

Para o dia a dia das aulas, a Faculdade dispõe de espaços didáticos que contemplam salas de trabalho em grupo, com estrutura flexível que permite montagens conforme necessidade da aula, facilitando a dinâmica entre os alunos, um Centro de Experimentação e Treinamento em Cirurgia equipado com tecnologia de ponta, incluindo equipamentos de cirurgia robótica e imagem molecular, e uma clínica odontológica.

Tem ainda em sua infraestrutura laboratórios com aparelhos para dar suporte ao fluxo digital em Odontologia, como raios X digital, câmeras intraorais, escâner de peças e moldes protéticos, além de máquinas para usinagem de peças tridimensionais (impressoras 3D).

“O desenvolvimento de ferramentas digitais na prática odontológica tem crescido exponencialmente, e nosso aluno terá acesso a essa tecnologia já na fase laboratorial até a clínica. Nosso objetivo é promover a reflexão crítica sobre o uso desses recursos, a partir da capacitação em seu manuseio e da comparação com os métodos tradicionais da prática odontológica, ampliando e aprimorando as possibilidades de ensino-aprendizagem de anatomia”, conta a cirurgiã-dentista.

De acordo com Bezinelli, a infraestrutura voltada à Odontologia Digital ajuda a manter o interesse do aluno – que já nasceu em meio a esse universo tecnológico – e o ensina a utilizar e aprimorar novas técnicas e dispositivos, aplicando-os onde quer que atue, em instituições de saúde públicas ou privadas.

“Nosso desafio é justamente inserir os recursos digitais nas unidades básicas de saúde, incluindo também os CEOs. Para isso, contaremos com programas de pesquisa e extensão e com a expertise da FICSAE e sua mantenedora, a Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein, que há anos a desenvolve pesquisas com novas tecnologias em saúde. São inúmeros os projetos e os estudos clínicos focados em aplicação, aprimoramento e gestão de recursos tecnológicos na área de medicina e enfermagem, no âmbito público e privado. O curso de graduação em Odontologia está inserido nesse contexto.”

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.