Em tratamento de leucemia, estudante realiza sonho de receber primeira comunhão em hospital

O último sábado (20) foi um dia de muita alegria para Mariana, de 10 anos, que fez sua primeira eucaristia e realizou um sonho dela e da família Tambasco, de Campinas (SP). Internada há 25 dias para o tratamento de uma Leucemia Linfoide Aguda, ela, que já havia realizado toda as etapas e preparação para a primeira comunhão, precisou se internar para o tratamento e a família católica viu cada vez mais distante o dia de concretizar sua afirmação ao batismo na comunidade onde frequentava.

Foi então que numa conversa com o capelão do IBCC Oncologia, Padre Paulo Aniceto, junto à equipe médica e multidisciplinar, foi liberada a realização da primeira comunhão no próprio hospital, seguindo todos os protocolos de segurança contra a Covid-19. A cerimônia íntima foi de muita emoção para a família. Além da mãe Adriana, estavam o pai Marcos e o irmão Eduardo.

“Ela tinha se preparado para a primeira eucaristia e já era para ter feito na nossa cidade. Poder fazer aqui representa uma alegria muito grande ter esse contato mais próximo com Deus na vida dela. A Mariana queria muito poder fazer a primeira comunhão antes de realizar o Transplante de Medula Óssea, sei que ela é uma menina muito forte, mas vejo que ela está buscando essa fé e força. Somos muito gratos por poder ter esse momento. Aqui no IBCC Oncologia recebemos além do tratamento médico, mas também o espiritual”, afirmou a mãe e professora Adriana.

Diagnosticada aos 7 anos, Mariana passou por tratamentos contra a Leucemia Linfoide Aguda, doença mais comum na adolescência, e apresentou recidiva no início deste ano. No IBCC Oncologia, ela terminou o primeiro ciclo de quimioterapia e poderá realizar ainda mais 3 ciclos antes do Transplante.

“A cada ciclo realizaremos exames para verificar se a medula foi negativada, ou seja, se a doença entrou em remissão para realizarmos o Transplante”, explica a Pediatra oncologista, Dra. Luciana Domingues. Ainda segundo a médica, é importante manter a fé viva, independente da religião. “A espiritualidade fortalece qualquer momento difícil. E sabemos que o acreditar e confiar ajuda. Ela passou por várias etapas. Chegou aqui com dificuldades para andar, sentia muitas dores, devido as infiltrações ósseas. Fez fisioterapia e outros tratamentos e agora olhamos para ela e vemos como já está com sua autonomia recuperada para o dia a dia. Esse momento foi muito positivo para ajudar no tratamento”, destaca.

A cerimônia aconteceu na Capela do IBCC Oncologia, conduzida pelo Padre. Paulo Aniceto, junto ao religioso camiliano, Genildo Guarino. Acompanharam o momento, além da família, a equipe médica da Unidade de Hematologia: Dra. Daniela Lutti, Dra, Emanuelle Tramonte, Dra. Luciana Domingues, Dr Roberto Luiz da Silva e a enfermeira Tatiane Baciga.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.