Encontro científico internacional discutirá uso dos Antivirais para tratamento da Covid-19

Nessa sexta-feira (8), um grupo de médicos e pesquisadores de 18 países se reunirá em um encontro online fechado para discutir e apresentar resultados atualizados da meta-análise geral, e um plano para revisão dos resultados com Ivermectina no tratamento da Covid-19. O evento científico é liderado pelo Professor da Liverpool University, Andrew Hill, e contará com a participação do médico brasileiro Flávio Adsuara Cadegiani, médico endocrinologista, mestre e doutor (PhD) em Endocrinologia Clínica pela Unifesp/EPM e pesquisador principal do ensaio clínico AndroCoV, que será o responsável por apresentar o desenho de estudo adequado para que a Ivermectina consiga atender as exigências da Organização Mundial da Saúde (World Health Organization).

“O objetivo é coletar mais detalhes sobre estudos clínicos randomizados para que a OMS possa reavaliar o uso de antivirais, como a Ivermectina, no tratamento de pacientes com a Covid-19. Estudos em desenvolvimento na Bulgária, Índia, Nigéria, Irã e Brasil – do qual faço parte, são alguns que serão apresentados”, afirma o médico Flávio Adsuara Cadegiani, que é um dos autores do “Clinical Diagnosis of COVID-19: a Prompt, Feasible, Costless, and Highly Sensitive Diagnostic Tool for COVID-19 Based on a 1,757-Patient Cohort (The AndroCoV Clinical Scoring for COVID-19 Diagnosis)” – trabalho aceito para publicação no Cureus Journal of Medical Science (indexed in PubMed) .

Protocolo clínico – AndroCoV

Manaus será palco de um projeto-piloto que irá testar na Atenção Primária à Saúde (APS) um novo método científico para detectar casos de Covid-19. Por um aplicativo de celular, profissionais de saúde irão utilizar um protocolo clínico – batizado de AndroCoV – para fazer um diagnóstico rápido da doença através de um sistema de pontos que obedece rigorosos critérios médicos. O estudo, feito no Brasil e nos Estados Unidos, foi aceito na publicação internacional Cureus Journal of Medical Science .

“Diante de um fato epidemiológico como é a Covid-19, que você já tem sintomas e sinais muito bem definidos para caracterizar a doença, a adoção do protocolo é segura. Para muitas doenças em todo o mundo, a gente adota protocolo. Se o paciente preenche três critérios para a doença, ele tem a doença. A gente está apenas validando um protocolo científico, mostrando que ele é um forte indicador da doença, que ele pode ser usado para tomada de decisão”, explicou a secretária de Gestão do Trabalho e da Educação em Saúde da pasta (SGTES), Mayra Pinheiro, que foi a Manaus na última segunda-feira (4) para dialogar com autoridades locais e visitar instituições de saúde.

Para aplicação do método, serão instaladas tendas ao lado dos postos de saúde de Manaus, onde profissionais serão capacitados para utilizar a ferramenta e atender rapidamente aos pacientes que chegam nas unidades com suspeita de Covid-19.

Informações sobre o protocolo: www.gov.br/saude/pt-br/assuntos/noticias/ministerio-da-saude-prepara-acoes-para-reforco-do-sus-em-manaus

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.