ERP na saúde: software faz diferença na gestão de equipamentos e medicamentos hospitalares

A organização de todos os setores de uma empresa é um passo primordial para o crescimento dos negócios, e não é diferente nas empresas de saúde, que geram equipamentos e medicamentos hospitalares. Com a pandemia da Covid-19, acenderam-se alertas sobre diversos gargalos nos sistemas de empresas que lidam com o segmento hospitalar, e o aprimoramento da gestão e da tecnologia se mostrou ainda mais urgente e necessário, para promover assistências de forma célere.

Por se tratar de uma área essencial para a população, seja em âmbito público ou privado, a gestão das empresas que lidam com os insumos para a saúde deve ser cuidadosa, eficaz e prática. Por isso, a automatização de processos se faz necessária, com softwares e sistemas adaptados, conforme aponta especialista.

O ERP – Enterprise Resource Planning – vem sendo cada vez mais utilizado como principal ferramenta tecnológica na organização das empresas hospitalares e no gerenciamento de dados.

Tal sistema pode ser implementado no controle do material hospitalar, além de oferecer uma visão macro da empresa. O ERP é constituído por módulos que integram todos os setores, consequentemente, a ferramenta cria uma forma mais eficiente de comunicação, automatizando assim todo o processo envolvido para controle dos materiais e atendimento das demandas legais particulares do segmento.

O executivo comercial da CIGAM no Distrito Federal e em Goiás, Gustavo Macedo, destaca alguns fatores importantes para a avaliação da necessidade de implementação de um ERP na empresa de saúde.

“A dificuldade para acesso à informação, falta de padrão para execução das atividades diárias, retrabalho, inconsistência de dados e crescimento da operação, são alguns fatores que precisam ser avaliados no momento da tomada de decisão para implementação do ERP, visto que a ferramenta é capaz de integrar a gestão, agilizando as providências com monitoramento das informações para tomada de decisão em tempo real”, explica.

ERP low-code

O especialista destaca, ainda, que o ERP com a tecnologia low-code é uma escolha ainda mais estratégica para o empreendimento, tendo em vista que se trata de uma solução mais ágil e eficaz o que, em curto prazo, contribui para o negócio como um todo. Tal sistema é desenvolvido sob medida para cada empresa e influencia diretamente na transformação digital e sucesso do negócio.

“A tecnologia low-code é caracterizada pelo desenvolvimento em baixa programação, o que torna o desenvolvimento mais ágil e, por consequência, gera uma série de benefícios, como o aumento de produtividade, flexibilidade na criação de projetos, redução de custos e a certeza de que o cliente terá uma tecnologia para apoiá-lo no processo de transformação digital, com o objetivo de atendimento a real necessidade de cada empresa para gestão e crescimento de uma maneira escalável”, ressalta Macedo.

Ferramenta CRM 

O executivo comercial da CIGAM no DF e em Goiás, Gustavo Macedo também destaca que através do módulo CRM – Customer Relationship Management – a empresa terá o gerenciamento de informações dos clientes.

“Com dados de últimas compras, produtos mais vendidos, responsável de cada setor do cliente e diversas outras informações, facilitando para criação de ações para cada perfil de cliente e, assim, estreitando ainda mais o relacionamento com toda a carteira”, conclui.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.