Especial NOVEMBRO AZUL

837

 

A Campanha Novembro Azul intensifica neste mês a prevenção e o tratamento da saúde do homem, em especial contra o câncer de próstata. No dia 17 de novembro é comemorado o Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata, segundo que mais mata homens no Brasil.

A ação, que atualmente é comemorada em todo o mundo, teve início na Austrália, onde leva o nome de Movember – junção das palavras moustache (bigode, em inglês) e november (novembro).

As instituições brasileiras estão engajadas na causa! Confira notícias abaixo:

Mais de 68 mil brasileiros serão diagnosticados com câncer de próstata em 2014

Câncer de próstata é mais incidente que o câncer de mama. Dados da Sociedade Brasileira de Urologia revelam que ainda há preconceito em relação aos exames.

Em 2014, segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), estimam-se 68.800 novos casos de câncer de próstata no Brasil, sendo a segunda causa de morte por câncer entre homens, atrás apenas do câncer de pulmão.

Diante disso, orientar e conscientizar a população masculina sobre a importância do exame de toque retal e PSA, visando o diagnóstico precoce do câncer de próstata e outras doenças são os objetivos da Campanha Novembro Azul realizada por diversas entidades durante todo o mês. O movimento surgiu na Austrália, em 2003, aproveitando as comemorações do Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata, celebrado em 17 de novembro.

De acordo com o clínico geral da Carelink, Alberto de Oliveira Júnior, o diagnóstico precoce é hoje a arma mais poderosa. “Quando descoberto nos estágios iniciais, as chances de cura da doença são muito mais altas, em torno de 90%. Fazer os exames de rotina é uma das formas de prevenção deste tipo de câncer, que é mais incidente que o câncer de mama”, explicou. Conforme pesquisa do Inca, a estimativa 2012/2013 apontou 60.180 novos casos de câncer de próstata e 52.680 de mama.

Segundo Oliveira Júnior, o exame de sangue para a dosagem do antígeno prostático específico (PSA) deve ser realizado anualmente por homens a partir dos 45 anos, além dele, é importante também o exame de toque da próstata, porém, dados da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) revelam que ainda há preconceito em relação aos exames – 44% dos homens no Brasil nunca foram ao urologista e apenas 32% dizem já ter feito exame de próstata.

O aposentado da área de informática, Rógenes Sândalo, de 63 anos, integra o programa da Carelink e relatou que descobriu a doença em estágio bem inicial, por realizar anualmente os exames de rotina e preventivos desde os 48 anos. “Muitos homens morrem por terem preconceito; eu fui contra isso e a prevenção me salvou. Troquei o preconceito por muito mais tempo de vida”, comemora.

Sintomas e fatores de risco

O médico da Carelink informa que no estágio inicial, o câncer de próstata não costuma apresentar sintomas. “Dificuldade para urinar pode ser sintoma de câncer, mas também de hiperplasia benigna. De qualquer maneira, é sempre recomendável consultar um urologista com o objetivo de fazer o diagnóstico precoce”, afirma Oliveira Júnior.

É importante o paciente também observar se apresenta os seguintes sintomas: urinar pouco de cada vez; urinar com frequência, especialmente durante a noite, obrigando-o a se levantar várias vezes para ir ao banheiro; dor ou sensação de ardor ao urinar; presença de sangue na urina ou sêmen e ejaculação dolorosa.

Dentre os fatores de risco, o Inca destaca a idade, já que aproximadamente 62% dos casos diagnosticados no mundo ocorrem em homens com 65 anos ou mais. A etnia e a história familiar da doença também são consideradas fatores de risco, além do tipo de dieta da pessoa e a obesidade.
Grupo especial para saúde do homem.

A Carelink se preocupa com as condições de saúde e bem-estar de forma geral, por isso, conta com diversos programas de orientações, entre eles, um especialmente direcionado à saúde do homem e suas doenças específicas.

O programa acompanha a saúde do homem e o orienta para uma vida mais saudável. A prevenção também é abordada no grupo que trabalha não só com homens que têm a doença, mas também com os que têm um fator de risco elevado, como casos da doença na família. “Incentivamos hábitos de saúde e contatos médicos frequentes para prevenir ou detectar com precocidade, o que ajuda no tratamento, na cura e, inclusive, na redução dos gastos médicos”, explicou Oliveira Junior.

Já os pacientes com câncer são acompanhados pelos médicos e administradores do grupo em todas as fases da doença, o que se aplica a exames, alimentação, internações, terapias individuais e em grupo, além de outras complicações com o sistema burocrático do hospital que podem vir a surgir.

Ao iniciar o programa, uma avaliação é feita para analisar as condições de saúde, estilo de vida e outros fatores que possam influenciar. Uma equipe médica e administrativa especializada oferece todo o apoio necessário para cada fase, estimulando uma maior participação do usuário na gestão de sua saúde, fornecendo conselhos e indicação de prestadores. Além dos contatos periódicos individuais, o programa inclui uma comunicação orientada para a situação atual de cada paciente.

“Desde 2011, após finalizar as sessões de radioterapia, os médicos da Carelink têm realizado um trabalho muito bom de acompanhamento junto a mim. Sou bem assistido, o que ajuda muito a dar continuidade na atenção com minha saúde”, destacou Sândalo.


Hospital São Camilo Ipiranga adere ao combate do câncer de próstata e ilumina nova fachada de azul

Objetivo da ação é estimular a realização dos exames de rotina para o diagnóstico precoce da doença.

A Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo inaugura a nova fachada da Unidade Ipiranga aderindo à campanha mundial “Novembro Azul”, de combate ao câncer de próstata. Ao longo de todo o mês, a nova fachada será iluminada de azul para lembrar os moradores da zona sul da capital paulista sobre a importância da realização dos exames de rotina.

“Recente diretriz da Sociedade Brasileira de Urologia determina que o toque retal e o exame de sangue chamado PSA devem ser iniciados aos 50 anos, quando não houver histórico familiar de tumor, e aos 45, quando houver parentes de primeiro grau que tenham tido a doença”, esclarece o urologista da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo, Adriano Pinto.

Segundo o especialista, o diagnóstico precoce é fundamental para um bom prognóstico da doença. “Pacientes com doença localizada na próstata têm chances de cura de 95 a 98%. Já para pacientes em que a doença avançou para outros órgãos, a chance de sobrevida é de 50% em cinco anos, dependendo do tipo de tumor”, alerta.

Para contribuir com o diagnóstico e tratamento da doença, a Unidade Ipiranga conta com um Centro de Oncologia com equipe multidisciplinar e atendimento humanizado, focado na segurança do paciente. No local, estão disponíveis áreas individuais para quimioterapia com a possibilidade de manter o acompanhamento familiar, além de leitos de apoio para internação, serviço do Centro de Infusão de Medicamentos e toda a infraestrutura do Hospital para apoio.

Para agendar consultas e exames é preciso fazer contato com a Central de Marcação, por meio do telefone (11) 3172-6800. O horário de atendimento é de segunda a sexta-feira, das 7h às 19h e, aos sábados, das 8h às 12h.


Novembro Azul: homens conquistam vida saudável pós câncer de próstata

Urologista do Einstein explica que a recuperação é rápida e os possíveis efeitos colaterais são tratáveis com tecnologias cada vez mais acessíveis.

A prevenção e a detecção precoce são os melhores caminhos para evitar os efeitos graves do câncer de próstata, como alerta a campanha do Novembro Azul, mês dedicado à conscientização sobre a doença. Apesar de tanta informação disponível, por que alguns homens ainda são resistentes a procurar ajuda médica? Especialistas alertam que – além do preconceito do exame – muitos ainda temem os efeitos do tratamento da doença, acreditando que podem ficar debilitados pela cirurgia.

A verdade é que o tratamento de câncer de próstata tem rápida recuperação e todos os possíveis efeitos colaterais são tratáveis de forma cada vez mais acessível no Brasil. “O câncer de próstata é uma doença muito frequente e pode ser curada, desde que diagnosticada precocemente. O homem não deve deixar de procurar seu urologista por medos infundados. As consequências do tratamento do câncer podem ser tratadas adequadamente, mas a evolução do tumor, sem tratamento, pode levá-lo a uma situação de impossibilidade de cura”, alerta o urologista Luis Seabra Rios, do Hospital Israelita Albert Einstein, de São Paulo (SP).

O médico explica que a recuperação tem duas fases. Na primeira, que dura de sete a 14 dias, é mantida uma sonda uretral de proteção. “Retirada esta sonda, o paciente volta a urinar espontaneamente e fica em observação, para saber se está tudo bem”, explica. Se não houver efeitos colaterais na cirurgia, o paciente volta a vida normal em quatro semanas.

Os efeitos colaterais pós cirurgias estão cada vez menos frequentes, mas – quando acontecem – já contam com um aparato da medicina para resolvê-los. Uma parte dos pacientes pode apresentar disfunção erétil, que varia de acordo com a idade e comorbidades. Outra possível complicação é a incontinência urinária, mais rara. “Incontinências importantes que necessitem de tratamento cirúrgico ocorrem em cerca de 5 a 8% dos pacientes”, explica.

Apesar de afetar muito a vida do paciente, a disfunção erétil pode ser resolvida de forma bem-sucedida. “Há várias formas de tratamento que incluem medicamentos orais, injeções e implante de próteses penianas. Essas alternativas são bastante eficazes e raramente o paciente deixa de recuperar a função sexual quando busca tratamento”, afirma.

Já a incontinência urinária pode ocorrer de forma leve até um ano após a cirurgia. Depois deste período, o paciente deve procurar ajudar médica caso continue apresentando o problema, que tem solução. Nos casos leves e moderados, o tratamento é feito com slings – malhas cirúrgicas que funcionam como um suporte reforçando a sustentação da uretra – e injeções endoscópicas. Nos casos graves, o tratamento recomendado é a colocada de uma prótese, chamada de esfíncter urinário artificial. A boa notícia é que, desde o começo do ano, brasileiros com incontinência urinária começam a receber autorização dos planos de saúde para colocar esta prótese, considerada o padrão ouro da medicina. Até então, para ter direito à cirurgia – única eficaz nos casos graves – era preciso recorrer à justiça.


Novembro Azul: previna-se contra o câncer de próstata

Depois de inúmeras ações para comemorar o Outubro Rosa, que chamou a atenção de mulheres para a prevenção do câncer de mama, o foco agora são os homens! No mês de novembro, todo o mundo se une em prol da Campanha Novembro Azul, cujo objetivo é alertar a classe masculina sobre a importância do exame para detectar o câncer de próstata – glândula do sistema reprodutor que armazena os líquidos.

A Oncomed BH, clínica especializada na prevenção, diagnóstico e tratamento do câncer, referência no estado de Minas Gerais, adere à causa do Novembro Azul e participa de forma ativa com ações de valorização e conscientização dos homens. Durante todo o mês, a fachada da clínica será iluminada por refletores com a cor azul, chamando a atenção de todos para a campanha. Além disso, vão fazer adesivos e distribuir bottons, no formato de bigode e na cor azul (que remete à origem da campanha) para todos os pacientes, médicos e colaboradores. Folhetos informativos serão distribuídos lembrando a importância da prevenção. Também farão uma apresentação da Trupe da Alegria, grupo de colaboradores da Oncomed BH que se dedicam a animar as sessões de medicação dos pacientes da clínica, com números artísticos, como contadores de histórias, shows musicais e brincadeiras.

Pesquisa da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), que entrevistou cinco mil homens em 2013, revelou que 47% dos entrevistados nunca realizaram exames para detectar o câncer de próstata, 44% jamais se consultaram com o urologista e 51% nunca fizeram exames para aferir os níveis de testosterona (hormônio masculino) no sangue.

Diante desses números, não é de se assustar que o câncer de próstata, hoje, seja o segundo que mais acomete homens, atrás apenas do câncer de pele não-melanoma. Para 2014, são esperados 68.800 novos casos dessa neoplasia, segundo o último levantamento realizado pelo Instituto Nacional de Câncer (INCA).

Mais do que qualquer outro tipo, é considerado um câncer da terceira idade, já que cerca de três quartos dos casos no mundo ocorrem a partir dos 65 anos. O aumento observado nas taxas de incidência no Brasil pode ser parcialmente justificado pela evolução dos métodos diagnósticos (exames), pela melhoria na qualidade dos sistemas de informação do país e pelo aumento na expectativa de vida.

Alguns desses tumores podem crescer de forma rápida, espalhando-se para outros órgãos e podendo levar à morte. A grande maioria, porém, cresce de forma tão lenta (leva cerca de 15 anos para atingir 1 cm³ ) que não chega a dar sinais durante a vida e nem a ameaçar a saúde do homem.

O médico oncologista da Oncomed BH, Dr. Alexandre Fonseca, explica um pouco da doença:

Dúvidas básicas:

O que é o câncer de próstata?

Câncer, também conhecido como neoplasia, é uma doença na qual ocorre um crescimento exacerbado e desordenado de algumas células. No caso do câncer de próstata, essas células são originariamente da próstata, e podem invadir os tecidos e órgãos e espalhar-se para outras partes do corpo, o que denominamos metástases.

Como se desenvolve?

Habitualmente o câncer de próstata é uma doença indolente, de crescimento lento, habitualmente acometendo homens com idade acima de 50 anos. Embora não seja conhecida sua causa, é sabido que fatores genéticos estão envolvidos, sendo que homens com parentesco de 1° grau de neoplasia de próstata apresentam risco mais elevado de desenvolver a doença.

O que o paciente sente?

Na fase inicial, os pacientes não apresentam sintomas. Grande parte dos pacientes permanecerá assintomática ou terão sintomas urinários (dificuldade para urinar e aumento da freqüência urinária), posteriormente podendo evoluir para quadro de obstrução urinária, dor no reto ou óssea, fraqueza e desânimo.

Como se faz o diagnóstico?

O diagnóstico de certeza é feito com a biópsia da próstata. Os pacientes que apresentarem no sangue aumento do antígeno prostático específico (PSA em inglês) e/ou alteração no toque retal são candidatos à realização de ultra-sonografia transretal com biópsia da próstata para verificar a presença da doença na próstata.

Como se trata?

O tratamento do câncer da próstata é multidisciplinar, podendo envolver cirurgia, radioterapia, uso de hormônios ou quimioterapia. A escolha do tratamento ideal é feita dependendo do estágio da doença e das características de cada paciente.

Qual é o prognóstico?

O prognóstico no câncer de próstata está relacionado com o estágio da doença ao diagnóstico, o tipo de câncer (existem alguns tipos mais agressivos que outros) e o estado geral do paciente.

Existe maneira de fazer o diagnóstico precoce do câncer de próstata?

O diagnóstico precoce do câncer de próstata é feito através do uso da medida do PSA e do exame clínico periódico, como screening da doença. Entretanto, mesmo adotando essa prática para a detecção precoce da doença não foi observado que naqueles em que a doença foi diagnosticada mais precocemente a sobrevida elevou-se. É por esta razão que instituições como o Instituto Nacional do Câncer não recomenda a utilização do screening em câncer de próstata.

Existe cura para o câncer de próstata?

Sim, em vários casos, quando a doença é diagnosticada em fase inicial e o tratamento é adequado.

Deve-se operar ou não?

Se a neoplasia de próstata é diagnosticada em estágios iniciais, a cirurgia é uma das opções terapêuticas, assim como a radioterapia e a braquiterapia.


Hospital estadual terá campeonato de queda de braço em nome da luta contra o câncer de próstata

Boneco gigante em forma de um fisiculturista, na fachada do hospital, lembrará o ‘Novembro Azul’, mês de alerta contra a doença.

O Centro de Referência em Saúde do Homem, unidade da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo gerenciada em parceria com a SPDM (Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina), na capital paulista, vai promover em novembro um campeonato de queda de braço entre médicos, pacientes e colaboradores para alertar sobre a prevenção contra o câncer de próstata.

Um boneco gigante de cor azul, na forma de um fisiculturista, com seis metros de altura, será instalado na fachada do hospital para celebrar o Novembro Azul. Com o slogan “Liga dos Campeões no Combate ao Câncer de Próstata”, o hospital celebra o mês de conscientização sobre a doença.

O campeonato de queda de braço, promovido em parceria com a Federação Paulista de Luta de Braço, ocorrerá durante às tardes de sexta-feira ao longo do mês de novembro.

“A Luta de Braço será utilizada para representar a força masculina que pode vencer o preconceito de realizar o exame de toque para detecção precoce da doença”, explica o urologista e coordenador do Centro do Homem, Claudio Murta.

O objetivo é chamar a atenção dos pacientes e público externo que transita próximo ao Centro para aderir à campanha. De acordo com o presidente da Federação Paulista de Luta de Braço, Márcio Moreira, o homem não pode subestimar a força que ele tem. “Consultar um urologista periodicamente exige pouca força, então fica fácil ganhar essa luta”, enfatiza.

O Campeonato de Luta de Braço da campanha ocorrerá nas sextas-feiras 07, 14, 21 e 28 de novembro, entre 14h e 16h30.

Na campanha, adesivos com o slogan da “Liga dos Campeões no Combate ao Câncer de Próstata” serão utilizados por todos os funcionários do hospital.

Pacientes receberão flyers com informações sobre os “5 passos para cuidar da saúde da próstata”. Haverá palestras sobre saúde da próstata e saúde sexual do homem nos dias 24, 27 e 28 de novembro. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas pelo no telefone (11) 3170-6194.

O Centro do Homem fica na Avenida Brigadeiro Luiz Antonio, 2651 – Jardim Paulista. Próximo ao Metrô Brigadeiro.

Confira os 5 passos para prevenção do câncer de próstata

1 – Cuide de seu peso com uma alimentação rica em frutas e fibras;

2 – Pratique 30 minutos de atividade física diariamente;

3 – Não fume e não abuse de bebidas alcoólicas;

4 – Diminua o consumo de carne vermelha;

5 – Faça um check-up anual com urologista.


“Novembro Azul”: doe tweets e posts no Facebook e ganhe um bigode azul

rhb_bigode_azulEstudos apontam que, até o final de 2014, 12 mil homens no Brasil serão vítimas fatais de um câncer de próstata em estágio avançado. Com o objetivo de contribuir para a conscientização do brasileiro em relação ao tema, a empresa de tecnologia Spreadshout lança a campanha digital “Meu Bigode Azul”  a partir de hoje. O intuito é disseminar informação sobre a enfermidade e ressaltar a importância de exames periódicos, incentivando o engajamento das pessoas na ação que integra o movimento global “Novembro Azul”.

A participação na campanha acontece por meio da ferramenta de compartilhamento de conteúdo em redes sociais da Spreadshout.  As pessoas são desafiadas a doar tweets e/ou posts no Facebook em prol da causa e, em seguida, ganham um “bigode azul” na foto de perfil (avatar), representando a adesão ao movimento. Os posts têm conteúdos relacionados ao câncer de próstata, ressaltando sua incidência, exames e diagnóstico. Para participar, basta acessar o site oficial (www.meubigodeazul.com.br) e selecionar quantos posts deseja doar.

A campanha “Meu Bigode Azul” foi desenvolvida pela agência Arabella, que pertence ao grupo internacional WideAg. De acordo com Ricardo Cisneiros, diretor de estratégia e inovação, o bigode é o simbolo mundial do movimento Novembro Azul e por isso foi utilizado no conceito criativo da ação. “A moda do bigode chegou ao Brasil nos anos anteriores, mas poucas pessoas sabem da sua conexão à campanha de saúde. Por isso desenvolvemos uma ação para reforçar essa ligação e sua importância”, declara o executivo. “É uma campanha de engajamento puro, onde as pessoas podem participar integralmente através de atividades naturais no Facebook e Twitter: com avatar (foto de perfil) e compartilhando conteúdo”, diz.

Segundo o Instituto Lado a Lado pela Vida, o câncer de próstata é o segundo tipo que mais mata no Brasil, atrás apenas do câncer de pele não-melanoma. Apesar da projeção de que 12 mil pessoas serão vítimas fatais da doença nesse ano, a entidade apresenta dados que reforçam a importância do tratamento precoce, o qual pode ser responsável pela cura em mais de 80% dos casos. “É nesse sentido que aderimos à causa, para mostrar a importância do diagnóstico antecipado”, revela Javier Brignone, diretor da Spreadshout. É a primeira atuação no Brasil, mas a companhia já trabalha com outras entidades, como Greenpeace, em campanhas sociais em outros países da América Latina.


Corrida de Autorama une pacientes e médicos em disputa no Instituto do Câncer

Ação destinada ao Novembro Azul incentiva homens a “ganhar corrida” pela prevenção no combate ao câncer de próstata

Entre os dias 11 a 13 de novembro, quem passar pela entrada do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp), unidade ligada à Secretaria de Estado da Saúde e à Faculdade de Medicina da USP, será convidado a participar de uma corrida pela prevenção. A campanha “Velozes e Saudáveis, homem que se cuida vai mais longe” visa orientar a população masculina sobre o câncer de próstata.

Pacientes e acompanhantes poderão participar da brincadeira e disputar uma partida de Autorama com os médicos. Independentemente de quem acelerar mais, todos os participantes ganharão um kit especial com um carrinho da campanha e material informativo sobre prevenção de tumores e a saúde do homem. No site do Icesp (www.icesp.org.br) também estará disponível uma cartilha sobre o assunto.

“Percebemos que, em muitos casos, os homens dedicam mais atenção aos cuidados com a manutenção do seu automóvel do que da própria saúde. Por conta disso, usamos esse tema para chamar atenção para a causa. É nosso papel criar laços com esse público e orientá-lo sobre a importância da prevenção, os cuidados necessários e, principalmente, do valor da adesão ao tratamento” destaca Maria Helena Sponton, coordenadora da ação e do Centro Integrado de Humanização do hospital.

O câncer de próstata é o mais comum entre os homens e representa cerca de 10% do total de tumores em todo o mundo. No Icesp, o ambulatório especializado atende mais de 400 pacientes por mês e já realizou uma média de quatro mil cirurgias para o tratamento da próstata.

“O diagnóstico precoce permite tratamentos menos agressivos e com alto índice de cura. Por conta disso, a indicação dos especialistas é que, a partir dos 45 anos, a realização de um check-up anual vire um compromisso para toda a população masculina” destaca William Nahas, coordenador do serviço de urologia cirúrgica do Icesp.


Ressonância magnética pode ser fundamental para detecção precoce do câncer de próstata

Toque retal e PSA ainda são exames fundamentais para o rastreamento, mas ressonância magnética ganha espaço como método auxiliar de detecção

Novembro Azul é uma campanha mundial para alertar a população sobre a importância da detecção precoce do câncer de próstata, o tipo mais comum entre os homens e a segunda causa de morte relacionada a cânceres no Brasil. Em 2012, foram mais de 60 mil novos casos, de acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca).

Os exames de toque retal e PSA ainda são fundamentais para o rastreamento do câncer de próstata, e todo homem acima de 40 anos deve consultar-se com um urologista pelo menos uma vez ao ano. Entretanto, esses exames, a ultrassonografia e até mesmo as biópsias apresentam limitações no diagnóstico, o que provocou interesse pelo desenvolvimento de outras técnicas, como a ressonância magnética.

“Esta última é uma técnica muito promissora por causa da alta resolução das imagens e da possibilidade de estudar o comportamento biológico dos tecidos de forma não invasiva”, afirma Dr. Leonardo Kayat, radiologista do Delboni Medicina Diagnóstica e doutor em ressonância magnética da próstata pela UFRJ. “De acordo com as diretrizes da Sociedade Brasileira de Urologia e da Sociedade Americana de Câncer, a ultrassonografia isoladamente não é recomendada para o diagnóstico por imagem do câncer de próstata, pois não há evidências suficientes que comprovem sua especificidade ou capacidade de aumentar a taxa de detecção”, revela o especialista. Para ele, a ressonância vem evoluindo como uma modalidade poderosa na localização e no estadiamento desse tipo de câncer, exibindo um desempenho superior ao exame de toque retal ou à ultrassonografia.

O exame dura em média 30 minutos e Dr. Leonardo aconselha a realização em aparelhos de última geração, preferencialmente do tipo 3 Tesla, que oferece melhores resultados. O especialista faz ainda um alerta para pacientes que tenham passado por biopsia recente e serão submetidos à ressonância magnética: “O ideal é fazer o exame antes da biopsia ou esperar ao menos um mês de sua realização. Assim, diminui a influência das áreas de sangramento na interpretação das imagens”, pondera ele.

Mas independentemente da maneira de diagnosticar a doença, o especialista defende a prevenção e o rastreio clínico como as melhores opções, sobretudo em homens com mais de 50 anos. “Para se manter saudável, é preciso ter alimentação balanceada e praticar exercícios físicos regularmente, em especial os homens que estão no grupo de risco, ou seja, com idade acima de 50 anos, histórico familiar da doença, com excesso de peso ou sedentários. E, logicamente, a consulta frequente com um urologista é fundamental para um acompanhamento adequado”, conclui o médico, afirmando que a utilização do novo método diagnóstico tem contribuído para adequar as formas de tratamento e aumentar as chances de cura dos pacientes.

Deixe seu comentário