Hospitais SUS ampliam participação em projeto de segurança do paciente

As Unidades de Terapia Intensiva (UTI) possuem dispositivos invasivos necessários para a manutenção da vida — mas que, também, podem causar infecções aos pacientes. Com objetivo de prevenir esses danos e riscos, um projeto envolvendo 204 hospitais busca reduzir em 30% os índices das três principais infecções relacionadas à assistência à saúde (IRAS) em UTIs.

Iniciando um novo triênio, o programa ‘Saúde em Nossas Mãos – Melhorando a Segurança do Paciente em Larga Escala no Brasil’ terá um aumento de 76% na participação de hospitais que atendem pelo Sistema Único de Saúde (SUS). A iniciativa faz parte do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde (PROADI-SUS), do Ministério da Saúde.

O Hospital Moinhos de Vento, de Porto Alegre (RS), é um dos seis hospitais que coordenam o projeto. De acordo com a liderança do projeto pela instituição, Rafaela Moura, a iniciativa busca “a prevenção de infecções em pacientes críticos, que estão internados em unidades de terapia intensiva”. “Também queremos melhorar a qualidade no cuidado por meio de uma mudança de cultura e processos, de modo que se consiga qualificar o atendimento e otimizar os recursos nos hospitais SUS”, reforça.

A iniciativa é conduzida de maneira colaborativa entre os seis hospitais de reconhecida excelência do Brasil, em parceria com o Institute for Healthcare Improvement (IHI). As instituições são responsáveis pela implementação de práticas de prevenção de infecções no Sistema Único de Saúde (SUS).

Região Sul

O projeto contempla medidas de segurança em 7.785 leitos de UTI Adulto, 17 UTIs Pediátricas e sete UTIs Neonatais. Dos 204 hospitais participantes, 13 são do Paraná, nove são de Santa Catarina e sete, do Rio Grande do Sul.

A iniciativa encerrou seu primeiro triênio de atuação no final de 2020, evitando 7.674 casos de IRAS em 115 hospitais públicos. Nesses três anos, a economia estimada para o SUS foi de R$ 354 milhões. O projeto alcançou 54% de redução do número de infecções adquiridas por pacientes internados em UTIs, salvando em torno de 2.687 vidas entre os anos de 2018 e 2020. O objetivo foi atuar na redução dos três principais tipos de IRAS:

  • Infecção Primária da Corrente Sanguínea Associada a Cateter Venoso Central (IPCSL), que apresentou diminuição de 46%.
  • Pneumonia Associada à Ventilação Mecânica (PAV), que teve redução de 52%.
  • Infecção do Trato Urinário Associada a Cateter Vesical (ITU-AC), que apresentou baixa de 68%.

O que é o PROADI-SUS

O Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde (PROADI-SUS) é uma forma alternativa para determinados hospitais fazerem jus à Certificação de Entidade Beneficente de Assistência Social em Saúde (CEBAS). As instituições transferem sua expertise pela realização de projetos de educação, pesquisa, avaliação de tecnologias, gestão e assistência especializada voltados ao fortalecimento e à qualificação do SUS em todo o Brasil.

Os hospitais Moinhos de Vento, Alemão Oswaldo Cruz, Beneficência Portuguesa de São Paulo, Hospital do Coração, Israelita Albert Einstein e Sírio-Libanês são os seis hospitais participantes do PROADI-SUS. Todos possuem o status de hospital de excelência pelo Ministério da Saúde.

Hospitais participantes do Rio Grande do Sul

Hospital de Caridade e Beneficência – HCB – Cachoeira do Sul
Hospital Universitário – Canoas
Hospital de Clínicas Passo Fundo – Passo Fundo
Hospital Escola UFPEL – Pelotas
Hospital Criança Conceição – Porto Alegre
Hospital Nossa Senhora da Conceição S A – Porto Alegre
Hospital Santa Cruz – Santa Cruz do Sul

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.