Hospital Bom Pastor realiza primeiro parto de trigêmeos indígenas

A mãe Zilda Oro Mon, com Cacilda, Saloão e Guilherme nos braços. Foto: Comunicação Pró-Saúde

Zilda Oro Mon, 24 anos, deu à luz a Cacilda, Salomão e Guilherme, na quarta-feira (4), no Hospital Bom Pastor (HBP), em Guajará-Mirim (RO). O nascimento dos irmãos foi motivo de felicidade para a família e também para os colaboradores da unidade ― são os primeiros trigêmeos nascidos no hospital, que é a única maternidade do município.

As crianças nasceram saudáveis. Cacilda, chegou com 1,615 kg, Salomão com 1,575 kg e Guilherme com 2,195 kg. Os irmãos nasceram por parto natural, igual a 70% dos bebês nascidos na unidade.

“Seguimos todos os protocolos para o parto acontecer de forma natural. Sabíamos que eram gemelares. Mas, somente após o nascimento dos dois primeiros bebês, o médico disse que eram trigêmeos. A equipe ficou em estado de êxtase de tanta alegria, afinal o primeiro parto de trigêmeos realizado na unidade e foi um sucesso”, afirma Yara Leite, enfermeira da unidade.

A mãe dos trigêmeos deu entrada no Hospital Bom Pastor já em trabalho de parto, com 37 semanas de gestação. O pré-natal foi feito em outra unidade. São os seus primeiros filhos, que nasceram bem de saúde, porém com baixo peso e, por isso, seguem internados na unidade até atingirem o peso ideal.

Para o diretor Hospitalar, Geraldo Fonseca, esse é um momento muito importante. “É gratificante ver como essa família entrou para a história do hospital, principalmente na vida dos profissionais que fizeram parte desse momento tão único que é o nascimento de três vidas”, ressalta o diretor.

Diferente de hospitais dos grandes centros urbanos, o Bom Pastor é uma unidade da Pró-Saúde, considerada uma das maiores entidades filantrópicas de gestão de serviços hospitalares do Brasil. O hospital é referência no atendimento à saúde indígena para mais de 6.000 índios que vivem em 50 aldeias na região de Guajará-Mirim, onde 90% do acesso só é possível por meio fluvial.

Atendendo uma população de cerca de 890 mil indígenas, a unidade realiza consultas, exames, cirurgias, partos e internações, com estrutura pensada especialmente para este público. Localizada na Avenida Pimenta Bueno, 663, no Centro de Guajará-Mirim, fronteira com a Bolívia, a unidade presta atendimento gratuito via Sistema Único de Saúde (SUS), mediante contrato com o município.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.