Hospital Estadual da Mulher alerta sobre a identificação correta do paciente

Identificação do paciente é essencial para garantir a segurança e a qualidade da assistência

No mês dedicado à Segurança do Paciente, várias ações são realizadas no intuito de assegurar que o enfermo seja resguardado. Para comemorar e contribuir com a campanha, o Hospital Estadual da Mulher (Hemu), por meio do programa da educação continuada, dedicou três dias, de 27 a 29 de abril, para atualizar a equipe multiprofissional sobre a importância da “Identificação do Paciente”, que é a primeira das seis metas internacionais de segurança do paciente.

Organizada pelo Núcleo de Segurança do Paciente (NSP), durante os três dias, a coordenadora do setor, enfermeira Lilian Fernandes – especialista em Qualidade em Saúde e Segurança do Paciente, pela Fiocruz/MS, ministrou palestras em diferentes turnos para abranger todos os profissionais da assistência.

Erros relacionados a Identificação do Paciente podem acontecer desde o cadastro na recepção até a alta do paciente. Segundo a Anvisa, essas falhas possuem fatores de intensificação que demandam uma atenção maior das entidades. O protocolo de identificação do paciente tem como objetivo, justamente, garantir que o usuário receba corretamente os cuidados para o seu caso. “Temos que nos conscientizar que a responsabilidade de identificação de paciente é de todos”, salientou a coordenadora, que fez questão de que todos participassem da capacitação.

Vale lembrar que, essa ação, de identificação correta do paciente, é o ponto de partida para a correta execução das diversas etapas de segurança.

Nas explanações, Lílian abordou sobre a definição de identificação do paciente; como deve ser a identificação do adulto e dos recém-nascidos; o fluxograma de identificação do paciente no centro cirúrgico; o uso correto da pulseira; identificadores da pulseira de recém-nascidos, educar o paciente; confirmar a identificação do paciente antes de cada cuidado, etc.

“Essa campanha é  importante para mantermos sempre o cuidado dos pacientes com qualidade na segurança”, disse a técnica de enfermagem, Ana Paula Alves. “A recepção é o primeiro contato do usuário. Temos que ficar atentos à sua identificação” afirmou o recepcionista Rogério da Silva. “Muito proveitoso! A própria segurança do paciente assegura a qualidade da assistência prestada”, destacou o enfermeiro João Lucas Dornelles.

De acordo com a coordenadora do NSP, enfermeira Lilian Fernandes, ninguém da equipe de saúde está isento de cometer erros de identificação, por isso é importante essa atualização, que proporciona uma melhoria contínua dos processos na unidade. “É imprescindível que sejam realizadas essas ações de educação permanente, para todos os profissionais envolvidos na assistência à saúde, para conhecimento de todas as rotinas institucionais, especialmente as relacionadas à identificação do paciente”, destacou a coordenadora, feliz pela participação de cerca de 200 profissionais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.