Hospital São Luiz Anália Franco adquire sistema de cirurgia robótica de alto padrão

1559

Se há alguns anos as cirurgias tradicionais eram a única forma de tratamento para inúmeras doenças, os procedimentos robóticos chegaram para mudar de vez esse cenário. Alinhado com o que há de mais moderno no setor da saúde, o Hospital e Maternidade São Luiz Unidade Anália Franco, em São Paulo (SP), adotou o sistema robótico Da Vinci Si, tornando-se pioneiro na Zona Leste a contar com essa tecnologia de última geração. As primeiras cirurgias robóticas foram realizadas no final do mês de maio e já obtiveram sucesso no tratamento de um câncer de próstata e na retirada de vesícula biliar, executadas pelo Dr. Camillo Loprete, cirurgião urologista e Dr. Marcelo Bianchin, cirurgião do aparelho digestivo, respectivamente.

A cirurgia robótica promove mais qualidade e segurança para os pacientes. A intervenção é realizada por meio de um robô de alta precisão sob o comando de experientes cirurgiões, o que proporciona uma visão tridimensional, mais nítida, além de corrigir tremores, aumentando a precisão cirúrgica. Ao contrário dos procedimentos tradicionais, o robô também permite incisões ainda menores (cerca de 5, 8 e 12 milímetros), menos tempo de recuperação e redução das chances de infecção, o que garante mais segurança ao médico e ao paciente.

Com um investimento de mais de um milhão de reais, a Rede D’Or São Luiz amplia seu programa de cirurgia robótica e contempla o quinto hospital do grupo no estado de São Paulo com essa tecnologia, melhorando o atendimento ao paciente da região. “O robô é um avanço tecnológico muito grande no tratamento cirúrgico de várias doenças, principalmente nas áreas de urologia, ginecologia e cirurgia geral. Além disso, dentro da nossa linha de cuidado oncológico é um suporte fundamental para garantir o melhor tratamento ao paciente”, afirma o Dr. Flavio Sakae, diretor geral do Hospital São Luiz Unidade Anália Franco.

Por ser altamente inovador, esse procedimento cirúrgico ainda é novidade em muitas instituições de saúde. “O Da Vinci Si, por exemplo, é um dos modelos mais avançados e sofisticados em cirurgia robótica. Para comandá-lo, o cirurgião usa ‘joysticks’ nas mãos e emite comandos pelos pés, sendo esses reproduzidos pelos quatro braços do robô, que alcança com eficiência o órgão alvo a ser operado”, explica o Dr. Fernando Tardelli, coordenador de cirurgia robótica do Hospital e Maternidade São Luiz Anália Franco.

O profissional ainda conta com uma torre que transmite imagens de alta resolução durante todo o procedimento, uma tecnologia que está revolucionando a medicina e deve crescer cada vez mais nos próximos anos. Segundo Tardelli, para realizar essas cirurgias, o médico preciso ser capacitada por meio de um treinamento intensivo em laboratórios e simuladores da plataforma robótica.

Deixe seu comentário