Hospital Vila Nova Star é ‘6 estrelas’ e completará 3 anos em maio

O Hospital Vila Nova Star, na zona sul da cidade de São Paulo, pertence à Rede D’Or e foi inaugurado em maio de 2019. Atualmente conta com um time de especialistas renomados como o oncologista Paulo Hoff, a cardiologista Ludhmila Hajjar, o cirurgião Antonio Luiz Macedo, o infectologista Esper Kallas e o urologista Miguel Srougi.

Possui hotelaria seis estrelas e é voltado ao público da classe A. Aposta na medicina personalizada, e em procedimentos minimamente invasivos que levam a menor tempo de internação. Conforto, segurança clínica e alta tecnologia foram prioridades na preparação do hospital para acolher seus pacientes de maneira única. A unidade dispõe de 90 leitos, sendo 38 de UTI, sete salas cirúrgicas e uma sala hemodinâmica equipadas com aparelhos de última geração, incluindo uma sala robótica para a realização de cirurgias minimamente invasivas em inúmeras especialidades.

O serviço de diagnóstico e terapia ocupa três andares do hospital e conta com exames laboratoriais, análises clínicas, medicina radio-intervencionista para tratar pacientes com qualquer nível de complexidade clínico-cirúrgica. Oferece ainda exames de imagem, incluindo endoscopia, e equipamentos como tomógrafo de 512 slices e o SPECT/CT com 16 canais, que reúne as vantagens da cintilografia com as da tomografia em um mesmo aparelho, trazendo maior agilidade e precisão ao exame. Conta também com o PET-CT, equipamento de última geração, totalmente digital, que proporciona maior conforto e segurança ao paciente.

Com 21 metros de altura e 16 pavimentos, o hospital foi construído em uma área aproximada de 22 mil m² na Vila Nova Conceição, próximo às avenidas Santo Amaro e Presidente Juscelino Kubitschek. De maio de 2019 a outubro de 2021 realizou 45 mil atendimentos. Ao todo, foram mais de 805 mil exames de análises clínicas e 62 mil de exames de imagem. Já ultrapassou a marca de 4 mil tratamentos oncológicos, realizados por radioterapia. Além disso, foram realizados 13 mil atendimentos de urgência e emergência e 7 mil procedimentos cirúrgicos.

O Hospital Geral dispõe ainda de um dos mais avançados recursos tecnológicos para tratamento oncológico. Possui um extenso parque tecnológico para radioterapia com aceleradores lineares de última geração e recursos exclusivos, que proporcionam maior facilidade de acesso ao tumor e maior precisão na aplicação da radiação com ganhos de eficácia no tratamento e possibilidade de redução de eventos adversos.

É o caso do Cyberknife, primeiro equipamento do Brasil de radiocirurgia de terapia robótica para procedimentos intra e extracranianos, avaliado em US$ 5 milhões. O acelerador linear é acoplado a um braço robótico e tem alcance submilimétrico e sensível aos movimentos do corpo provocados pela respiração do paciente. É extremamente preciso e capaz de direcionar alta concentração de radiação atingindo apenas o tumor, sem afetar tecidos saudáveis.

Outro destaque é a Tomotherapy, modalidade de tratamento de radiação menos invasiva e mais assertiva, que combina a radiação com exame de imagem de tomografia computadorizada, que proporciona precisão na distribuição do feixe de radiação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.