IBCC Oncologia completou 2 anos do projeto Ring The Bell

Cleusa e a enfermeira Michele Crepaldi do IBCC Oncologia. Foto: ACS IBCC Oncologia

Em 18 de dezembro de 2018 foi implantado o Ring The Bell no IBCC Oncologia, inaugurado pela paciente Maria Sandra dos Santos de 55 anos, que com sua família pôde comemorar o fim do tratamento com o ato que continua a emocionar os pacientes que nele passam nesses 2 anos. O projeto surgiu nos Estados Unidos, no Hospital Md Anderson Cancer Center e chegou ao Brasil através de uma ONG, com o objetivo de celebrar o final do tratamento de radioterapia de pacientes com câncer o ato de badalar o sino traz a sensação de missão cumprida e início de um novo ciclo.

A emoção começa antes mesmo da ação de tocar o sino, quando todos se reúnem e o paciente lê uma mensagem motivacional que foi escolhida através de um concurso na instituição: “Você vivenciou um percurso único até aqui, encontrou força, coragem e esperança. Ao tocar o sino, sinta-o vibrar. Essa vibração trará ao seu coração motivação e alegria. Guarde o som dessa vitória. Hoje é o seu recomeço. Parabéns”.

“Em alguns casos, a radioterapia é a última etapa do tratamento antes iniciar o período de seguimento e controle. Para muitos pacientes isso significa uma vitória sobre o câncer e fim de um tratamento que na maioria das vezes consistiu em cirurgia, quimioterapia e a radioterapia”, destaca o médico radio-oncologista do IBCC Oncologia, dr. Eduardo Barbieri, médico.

Uma das 837 pacientes foi Cleusa Nogueira, 56 anos, diagnosticada com câncer de mama em janeiro de 2020 após exames de rotina. Conhecida por ser uma mulher guerreira e alegre, a paciente esbanja alegria ao falar da sua etapa concluída na radioterapia,

“Minha expectativa para tocar o sino é grande, um toque de liberdade, felicidade, vitória e agradecimento a Deus e por toda equipe”, relata a paciente.

O câncer de mama é uma doença causada pela multiplicação desordenada de células da mama. Esse processo gera células anormais que se multiplicam, formando um tumor. Em todo seu processo de tratamento, Cleusa teve ajuda de muitas pessoas, principalmente dos filhos que estiveram ao seu lado a todo momento. “O resultado me assustou, pois eu sempre fiz acompanhamento e não imaginava que isso iria acontecer, mas com a ajuda de pessoas especiais e principalmente Deus, eu venci”, declara Cleusa.

A luta foi grande, mas sempre na expectativa de dias melhores. Ela relata que trabalhou seu psicológico principalmente para queda de cabelo, quando começou sua quimioterapia em agosto de 2020. Após sua cirurgia em março ter sido um sucesso, as expectativas só aumentaram para Cleusa, mesmo ao passar por momentos turbulentos na UTI, Nogueira não desanimou e conclui seu tratamento com sorriso no rosto.

Neste 1º de março, Cleusa badalou o sino ao lado do seu filho Danilo e seu irmão Mauro Nogueira, a emoção tomou conta do lugar, e o Ring The bell fez jus a seu propósito, etapa concluída!

A radioterapia é utilizada com finalidade curativa em uma série muito grande de doenças e pode agir de forma isolada (radioterapia exclusiva) ou associada à cirurgia ou à quimioterapia (radioterapia adjuvante).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.