InCor é o primeiro hospital em cardiologia do Brasil e da América Latina

750

O Instituto do Coração (InCor) foi considerado o melhor hospital de cardiologia no Brasil e na América Latina, de acordo com avaliação da revista americana Newsweek em parceria com empresa alemã Statista, especializada em dados de mercado e consumidores. Na lista World’s Best Specialized Hospital 2021 de cardiologia, divulgada na quarta-feira (23), o InCor está entre os 50 melhores do mundo, na 23ª posição geral – os hospitais Israelita Albert Einstein, Sírio-Libanês e o Instituto Dante Pazzanese figuram respectivamente em 34º, 40º e 43º lugar.

O número 1 do mundo na especialidade é a Cleveland Clinic, de Ohio (EUA), seguido de outros dois americanos: Mayo Clinic – Rochester e Brigham and Women’s Hospital. A pesquisa online foi realizada com cerca de 40 mil profissionais (médicos, profissionais de saúde e gerentes de hospitais) de mais de 20 países.

Se forem analisados na lista da “Newsweek” apenas os hospitais públicos, o InCor vai para a 10ª posição no ranking dos melhores hospitais em cardiologia, depois de Universitätsklinikum Heidelberg, da Alemanha (9ª); Royal Brompton Hospital, do Reino Unido (10ª); Hospital Universitario La Paz, da Espanha (11ª); Hôpital Universitaire Pitié Salpêtrière, da França(12ª); National Cerebral and Cardiovascular Center, do Japão (13ª); Helios Kliniken, da Alemanha (16ª); Universitätsspital Zürich, da Suiça (18ª); Herz- und Diabeteszentrum NRW (19ª) e Charité – Universitätsmedizin Berlin, (21ª ), ambos da Alemanha.

Com cerca de 4.500 funcionários, mais de 1.000 pesquisadores e alunos, o InCor fará uma reunião online com o presidente do Conselho Diretor, dr. Roberto Kalil Filho, e com o vice-presidente Fabio Jatene. “Vai ser um encontro virtual de agradecimento. Essa é uma conquista de todos que trabalham para fazer do InCor uma referência no mundo em cardiologia. “Estar no ranking da prestigiada Newsweek como a melhor instituição de cardiologia da América Latina, e a 23ª do mundo, é um orgulho imenso”, disse Kalil. “Na próxima semana, estaremos online com todos os funcionários para agradecer muito. Esta colocação tem vários responsáveis, inclusive aqueles que não estão mais entre nós, mas lutaram muito pela instituição”

Jatene destacou a “história de 43 anos que vem sendo construída por gerações de colaboradores, competentes e comprometidas em fazer o melhor”. “Graças a esse empenho, o InCor tem se mantido como uma instituição de pioneirismo e vanguarda em prol dos seus pacientes, agregando pesquisa, ensino e inovação. Muito orgulho em fazer parte desta instituição pública de excelência internacional”, afirmou.

Pioneirismo e atendimento SUS

Inaugurado em 1977, o InCor é um hospital público universitário de alta complexidade, especializado em cardiologia, pneumologia e cirurgias cardíaca e torácica, sendo que 80% de seu atendimento global é prestado a pacientes com financiamento pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Em sua história há ligação direta com o pioneirismo em diversas áreas, entre elas, a de transplante do coração – realizado em 1968 no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HCFMUSP). O procedimento, com as equipes dos professores Euryclides de Jesus Zerbini, na cirurgia cardiotorácica, e Luiz Venere Décourt, na Clínica, sedimentam também os alicerces do que viria a ser o InCor de hoje – que ocupa também a 7ª posição entre os centros que mais fazem transplante de coração no mundo. No Brasil, é o número 1º em transplante cardiopediátrico, de pulmão e de congênitos.

Em média, a instituição realiza por ano: 260 mil consultas médicas; 37 mil atendimentos multiprofissionais; 13 mil internações; 5 mil cirurgias; 2 milhões de exames de análises clínicas; e 330 mil exames de diagnóstico de alta complexidade. No balanço de 10 anos, entre os anos 2008 e 2018 realizou mais 125 mil cirurgias e 1.100 transplantes de coração e de pulmão, em adultos, crianças e adolescentes, além de 371 mil estudos hemodinâmicos, entre outros.

Neste ano de 2020, em meio à pandemia, a Instituição também mostrou a união da sua expertise com agilidade em prestar serviços à população e iniciou duas grandes ações: a primeira foi a TeleUTI, um programa com uso da telemedicina para capacitar e treinar profissionais da UTI no manejo do paciente a partir de um protocolo de procedimentos validado pelas principais universidades (USP, Unicamp, UNESP e Unifesp) e pela Secretaria estadual de Saúde. Também iniciou o uso do “respirador mecânico” desenvolvido pela USP em pacientes com covid-19. A iniciativa teve como objetivo a produção em escala e o baixo custo do equipamento.

Para acessar mais informações da World’s Best Specialized Hospital 2021: www.newsweek.com/worlds-best-specialized-hospitals-2021 / bit.ly/3cqZsxS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

cinco × 4 =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.