No Brasil, gastos com Saúde seguem em alta

O setor de saúde deve movimentar no país até o final deste ano cerca de R$ 313,9 bilhões, o que representa um acréscimo de 13,8% em comparação a 2020 e de 21,8% em relação a 2019. É o que aponta a Pesquisa IPC Maps, especializada em potencial de consumo dos brasileiros há quase 30 anos, com base em dados oficiais.

Nos cálculos acima, são levadas em conta despesas com medicamentos e itens para curativos, bem como com bens e serviços relativos a planos de saúde e tratamentos médico e dentário.

De acordo com o levantamento, os brasileiros devem desembolsar R$ 160,9 bilhões só com planos de saúde e tratamentos, e quase R$ 153 bilhões com medicamentos em 2021.

Para Marcos Pazzini, responsável pelo IPC Maps, essa alta no setor de saúde deve-se tanto ao aumento do desemprego, já que “a população teve de recorrer a um plano de saúde individual para continuar com cobertura, principalmente em tempos de pandemia”, quanto ao crescimento da população idosa, “o que exige uma maior demanda por medicamentos e cuidados médicos”.

Na contramão desse ritmo de consumo, porém, está a quantidade de farmácias no Brasil. De 2019 para cá, mais de 40 mil unidades (24,2) fecharam suas portas, totalizando hoje 126.275 estabelecimentos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.