Norte D’Or inaugura nova emergência pediátrica

2415

A Zona Norte do Rio de Janeiro (RJ) vai ganhar uma nova opção para atendimento médico focado em crianças. Com um investimento de mais de R$ 6 milhões, o Hospital Norte D’Or inaugura, em 1º de março, a sua emergência pediátrica. Com capacidade para atender inicialmente cerca de 2 mil crianças por mês, será a única emergência desse gênero em hospital geral da região de Cascadura, Madureira e redondezas que está preparada para atender todos os níveis de complexidade dos pacientes, de recém-nascidos a jovens de até 18 anos.

“Atenderemos desde a emergência pediátrica até as cirurgias de alta complexidade, passando pela terapia intensiva e ambulatório de especialidades pediátricas. Entre essas especialidades ambulatoriais destacam-se a cirurgia pediátrica, endocrinologia, gastroenterologia pediátrica,  além da ortopedia e neurocirurgia”, explica o diretor executivo do hospital, Dr Ricardo Calado.

Enquanto que a rede pública desativou, de 2010 a 2016, mais de 10 mil leitos de internação pediátrica, o Norte D’Or se estruturou para atender uma demanda real da população. O novo setor ocupa uma área de 900 m² e conta com 10 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e 15 de internação. Com isso, o hospital passa a ter 170 leitos. O centro cirúrgico também foi estruturado para fazer cirurgias pediátricas por vídeo.

Toda assistência será realizada pela equipe de pediatria responsável pelo atendimento em todos os hospitais da Rede D’Or, formada por emergencistas e intensivistas pediátricos. O diretor executivo explica que a emergência funciona com um modelo de classificação de risco e priorização do atendimento que também é aplicado nos demais hospitais da Rede, visando um atendimento seguro e eficiente. “O paciente vai contar com toda a estrutura de apoio. Estar em um hospital geral do porte do Norte D’Or é um grande diferencial para um serviço de emergência pediátrica, inclusive para os familiares, que poderão, caso precisem, ser atendidos no próprio hospital”, destaca o Dr Ricardo Calado.

Deixe seu comentário