Diabetes: personalidades aderem a campanha que visa cobertura de cirurgia pelos planos de saúde

Chegando neste sábado (21) na reta final do prazo para contribuições da Consulta Pública da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) – que avalia propostas de atualização do rol de procedimentos obrigatórios a serem cobertos pelos planos de saúde – a campanha Vida Nova Metabólica desenvolvida pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM) tem recebido apoio de importantes personalidades da sociedade civil, entre eles o ator Thiago Lacerda, Dr. Drauzio Varella, os senadores Romário (Podemos/RJ), Nelsinho Trad (PSD/MS), Jorge Kajuru (Cidadania/GO); assim como deputados como Carmen Zanotto (Cidadania/SC) e o deputado Igor Tipo (Podemos/MG).

O pleito da campanha é a incorporação da cirurgia metabólica, indicada para pacientes que não obtém resultados e controle com o tratamento clínico para o Diabetes, na cobertura dos planos de saúde. O parecer preliminar de técnicos contratados foi contrário ao pedido e a consulta pública visa ouvir a população sobre a incorporação. O prazo para envio de contribuições terminou neste sábado (21).

O apoio de Thiago Lacerda aconteceu através das redes sociais. Em um vídeo, ele comenta sobre as principais complicações e como contribuir para a consulta pública.

“Essas pessoas acabam expostas ao risco de perder a visão, de ir para a hemodiálise ou até mesmo amputar uma perna. Esse apelo é para que eles tenham direito de usar seus planos de saúde para realizar um procedimento confiável e seguro que é a cirurgia metabólica”, diz o ator.

O Dr. Drauzio Varella compartilhou a sua opinião sobre os impactos do diabetes tipo 2 e também apresentou dados importantes sobre a cirurgia metabólica como alternativa de tratamento para aqueles pacientes que não respondem ao tratamento clínico e mudança de hábitos.

“As pesquisas demonstram que as cirurgias de redução de estômago têm efeitos importantes sobre o controle do diabetes e problemas como o colesterol e a pressão alta. Além do impacto na glicemia, a cirurgia reduz também a mortalidade por problemas do coração”, afirma o médico em vídeo nas suas redes sociais.

A cirurgia metabólica como tratamento de pacientes com diabetes também foi pauta do programa de entrevistas que o Dr. Drauzio Varella mantém no YouTube. Ele conversou com o cirurgião, pesquisador e ex-presidente da SBCBM, Dr. Ricardo Cohen, sobre os impactos da doença e como a cirurgia age no organismo dos pacientes.

Em 14 de novembro, Dia Mundial do Diabetes, o senador Romário usou suas redes sociais para alertar sobre a doença, a disponibilidade de testes glicêmicos na rede pública e chamou atenção sobre a consulta pública da ANS.

“O Conselho Federal de Medicina aprovou a realização da cirurgia bariátrica/metabólica para tratar o diabetes em pessoas que não conseguem controlar sua doença com remédios orais e/ou injetáveis. Esse é um procedimento bastante estudado há anos, que se revelou seguro, eficaz e capaz de reduzir o risco de complicações e morte secundárias ao diabetes e à obesidade”, escreveu o senador. “A ANS está fazendo uma consulta pública para ouvir a opinião da população e definir se o procedimento deve ou não ser coberto pelos planos de saúde”, comenta Romário.

Além de Romário, a cirurgia metabólica também recebeu apoio do deputado federal Antônio Britto, que realizou uma audiência pública ano passado na Câmara dos Deputados sobre o tema. Parlamentares também fizeram referência à campanha nas redes sociais como a deputada federal Carmen Zanotto, o deputado Igor Timo, assim como senadores Nelsinho Trad e Jorge Kajuru.

“Eu abracei a causa para inclusão das cirurgias metabólicas em planos de saúde. Nosso objetivo é permitir que pacientes com diabetes tipo 2, que não encontram esperança no tratamento apenas com medicamentos, possam fazer a cirurgia e ter de volta sua saúde e alegria de viver”, declarou Timo.

“Estimular a opinião pública e os planos de saúde a entender e aceitar que essa cirurgia é fundamental para uma doença silenciosa. [O diabetes] é a terceira doença que mais mata no mundo, porém as duas primeiras, AVC e a hipertensão, são ocorridas em função do diabetes”, comenta Kajuru.

10 CENTAVOS – Segundo a SBCBM, a cirurgia metabólica custará R$ 0,10 por mês por usuário aos planos de saúde. Os dados fizeram parte de um Estudo de Impacto Orçamentário feito pela SBCBM para que a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) incorpore esse tratamento no rol de procedimentos obrigatórios dos de planos de saúde. Técnicos da agência refizeram os cálculos e encontraram 18 centavos por usuário, apesar de se basearem em estudos oriundos dos próprios planos de saúde que tem se posicionado contrários à incorporação. A decisão final depende agora de uma consulta pública que a ANS está fazendo até o dia 21 de novembro.

“O preço pago para se aumentar um ano de vida com qualidade máxima foi calculado em R$ 23 mil reais. Esse preço, que é inferior a um PIB per capita, é considerado extremamente custo-efetivo pelos analistas em economia da saúde”, afirma o presidente da SBCBM, Marcos Leão Vilas Boas.

Agora, a entidade abriu uma consulta pública para ouvir a sociedade civil sobre a cirurgia metabólica e decidir se incorpora ou não o procedimento ao seu rol.

Para contribuir é preciso acessar o site da ANS (bit.ly/SBCBMConsultaPublica) procurar pela Recomendação preliminar “153 – Gastroplastia”, clicar em “Discordo da Recomendação Preliminar”, e dizer os motivos para que exista a cobertura da cirurgia metabólica para pacientes com Diabetes.

CIRURGIA PARA O DIABETES – A cirurgia para o diabetes ou metabólica é indicada para pacientes com diabetes tipo 2 , diagnosticado há menos de 10 anos, com Índice de Massa Corporal (IMC) entre 30 kg/m² e 34,9 kg/m², entre 30 e 70 anos de idade e que não conseguem controlar a glicemia com o tratamento clínico medicamentoso.

O procedimento é realizado por videolaparoscopia, através de pequenos furos na parede abdominal. Essa alteração promove a passagem mais rápida do alimento do estômago para o intestino e traz mudanças metabólicas como a aceleração da produção de hormônios, que atuam no pâncreas melhorando a produção de insulina, o que normaliza os níveis de glicose no sangue.

Os estudos têm demonstrado benefícios a médio e longo prazo para a qualidade de vida destes pacientes como, por exemplo, que 45% dos pacientes entram em remissão do diabetes (deixam de tomar medicamentos e insulina) já no primeiro ano de cirurgia.

Além disso, a cirurgia metabólica é uma ferramenta eficaz para prevenir complicações graves do diabetes como a insuficiência renal, a retinopatia diabética, acidentes cardiovasculares e os problemas de úlcera e gangrena dos membros inferiores que levam muitos pacientes a ter de amputar parte da perna.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.