Plataforma reduz em 90% idas de pacientes crônicos às UPAs de Penedo

461

Uma plataforma, aliada a um atendimento diferenciado, reduziu em 90% o número de pacientes crônicos que procuram as Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), em Penedo (AL). De cada 100 pacientes crônicos que iam a UPA em 2018, 90 deixaram de ir neste ano. O número de internamentos de pessoas com diabetes e hipertensão também baixou em 42%, o que gerou economia para o município e qualidade de vida para as pessoas.

A PGS Medical, startup de saúde público privada, é uma plataforma idealizada para dar suporte ao gestor público e aos profissionais de saúde dos municípios. “Isso porque ela orienta o usuário sobre as melhores práticas de gestão em saúde, organiza a agenda de atendimento dos profissionais em função da complexidade dos casos dos pacientes atendidos e mede a melhoria na qualidade de vida e a economia de recursos com os cuidados oferecidos”, explica o idealizador do software, Wagner Marques.

Antes da implantação do sistema, o valor médio gasto por paciente, levando-se em conta os atendimentos nas UPAs e internações, era de R$ 3.846,43 por mês. Após a implantação, este valor caiu para R$ 826,81.

Os resultados foram obtidos, principalmente, graças à diminuição nos números de atendimentos e internações realizados entre pacientes portadores de doenças crônicas — foco principal da plataforma, instalada em Penedo.

O programa foi apresentado nesta quarta-feira (27), no Theatro Sete de Setembro, e, em Penedo recebeu o nome de Programa Redenção. A iniciativa já traz resultados na vida de milhares de pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS).

De acordo com o presidente do Instituto de Tecnologia e Ciência de Penedo (ICTP), Marcos Maggi, o programa é único no Brasil com abrangência direcionada aos crônicos. “Essa plataforma integra Saúde e tecnologia, com o propósito de levar qualidade de vida aos pacientes. Com ela podemos trabalhar a prevenção, o monitoramento, linhas de cuidados e os prontuários eletrônicos, acompanhando a evolução do paciente que recebe atendimento de uma equipe especializada e exclusiva para este programa”, explicou Maggi.

COMO FUNCIONA

O Redenção já acompanha em Penedo mais de 1.300 pacientes crônicos (diabetes, hipertensão e obesidade descompensada (que estavam sem controle).

Os pacientes recebem medicamentos em casa, acompanhamento médico, nutricional, fisioterapêutico e de saúde mental. Isso tudo sendo controlado pela plataforma PGS Medical, um software desenvolvido em Penedo a partir de uma parceria público privada.

Segundo números do Ministério da Saúde, pacientes crônicos no Brasil representam 4% da população. E o Sistema Único de Saúde (SUS) gasta em torno de 50% dos recursos da pasta para tratá-los. Com o Redenção, os resultados obtidos vão bem além da qualidade de vida, alcançam também a economia recursos da Saúde Pública.

“Conseguimos reduzir as entradas dos crônicos na UPA, reduzimos os internamentos e as amputações ocasionadas pelo pé diabético. Também foram reduzidos os acidentes vasculares e as taxas de diabetes dos pacientes. Pacientes acamados voltaram a andar e ter o prazer de lutar para melhorar a qualidade de vida. Essa plataforma foi desenvolvida pelo Instituto de Tecnologia e Ciência de Penedo (ICTP). O projeto é nosso, genuinamente alagoano e já vem fazendo a diferença na vida de muita gente”, comemorou o prefeito Marcius Beltrão diante dos resultados alcançados em pouco mais de um ano.

RESULTADOS

Uma prova destes resultados é a reviravolta na qualidade de vida do paciente crônico acompanhado pelo Redenção, Antônio Santana, 61 anos. “Por muito tempo deixei de acreditar no SUS, estava sucateado. Com isso, deixei de sair de casa. Não fazia mais nada. Depois que passei a ser acompanhado pelos anjinhos (enfermeiras) tudo mudou. Minha vida mudou significativamente. Hoje o anjinho cuida da minha saúde e me trouxe esperança de viver”, contou emocionado. Com o acompanhamento realizado pelo Redenção, Santana recebe a visita de enfermeiras em casa. Elas aferem a pressão, peso, glicemia e instruem sobre os medicamentos que devem ser tomados. Os dados do Sr. Antonio vão para a plataforma, que informa em virtude da complexidade qual deve ser a frequência do atendimento do paciente.

“Hoje é um momento ímpar para o serviço público. O Redenção traz consigo economia, eficiência e assistência que muda a vida dos pacientes crônicos. Isso eles sabem bem o que significa. Bem como seus familiares. O Redenção é vida, é assistência ampliada, é prevenção, o que os crônicos mais precisam”, garantiu o secretário de Saúde de Penedo Pedro Madeiro.

A dona Maria da Conceição Oliveira, 49 anos, até pouco tempo não andava e enxergava com dificuldade por causa do diabetes e das altas taxas de açúcar. “Até o ano passado eu não andava e não saía de casa. Hoje tenho um anjo (enfermeira que a acompanha em sua casa) que cuida de mim, que trouxe o posto de saúde até minha casa, com médicos e medicamentos, tudo ao meu alcance. Já consigo andar e fazer coisas simples que antes não fazia sozinha. Voltei a andar com ao auxílio de uma bengala e também voltei a cozinhar”, narrou emocionada.

O Programa Redenção além de ser único no Brasil, ter nascido em Penedo, possui um grande diferencial: “Ele está dentro das casas dos pacientes corriqueiramente, tratando todos por igualdade. Ele traz consigo o trabalho humanizado e acolhedor”, encerrou o prefeito de Penedo Marcius Beltrão.

Deixe seu comentário