Procura por mamografias tiveram queda de 40% na Santa Casa de Porto Alegre

A Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre (RS) registrou, entre os meses de janeiro a setembro deste ano, diminuição na realização de mamografias (40%), consultas (33%) e cirurgias da mama (22%), em relação ao mesmo período do ano passado. Devido à pandemia, muitos  cuidados preventivos com a saúde ficaram em segundo plano, o que resultará, a médio e longo prazos, no diagnóstico tardio dos casos de câncer de mama.

As estimativas do INCA apontam que neste ano 66,3 mil mulheres serão diagnosticadas com câncer de mama no país, e em torno de 11 mil perderão a vida. Conforme explica o diretor médico do Hospital Santa Rita Carlos Eugênio Escovar, a diferença é que, com a diminuição nos cuidados preventivos devido à pandemia, estes casos chegarão aos hospitais muito mais avançados: “Independente do momento em que o mundo está vivendo, todas as mulheres devem consultar o seu médico pelo menos uma vez por ano para fazer exames das mamas. Dependendo da idade da mulher, da sua história pessoal e familiar de outras doenças, o médico vai realizar alguns exames específicos para detectar precocemente o câncer, mesmo antes do aparecimento qualquer sintoma ou que seja perceptível”, explica o especialista.

Hoje, o câncer de mama é a maior causa de óbito por neoplasia em mulheres. Aquelas que apresentam um ou mais fatores de risco para a doença devem ficar ainda mais atentas. A obesidade e o consumo excessivo de bebidas alcoólicas são dois importantes fatores de risco os quais a sua eliminação, o quanto antes, podem garantir uma vida mais saudável às mulheres. “Já o histórico familiar de câncer de mama em parente de primeiro grau, história pessoal de doença benigna de mama, idade a partir dos 50 anos, menstruação precoce e menopausa tarda, são situações que as mulheres precisam dedicar ainda mais atenção a sua saúde”, completa Carlos Eugênio.

Além da atenção aos fatores de risco, existem medidas preventivas para diminuir o risco deste câncer se desenvolver: manter um estilo de vida saudável e evitar o uso de hormônios do tipo estrogênio (presentes em medicações para controlar sintomas da menopausa) são algumas medidas para não elevar o risco de ter um o câncer de mama.

A orientação atual é que a mulher apalpe suas mamas sempre que se sentir confortável para tal (no banho, na troca de roupa, etc.), sem a necessidade de uma técnica especifica de autoexame, e que vá ao médico sempre que notar alguma destas alterações:

  • Nódulos (caroços) fixos que geralmente não causam dor;
  • Pele da mama avermelhada;
  • Retração da pele da mama;
  • Aspecto da mama parecido com casca de laranja;
  • Alterações no bico do seio;
  • Pequenos caroços nas axilas ou no pescoço;
  • Saída anormal de líquido das mamas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.