Proposta do I Simpósio Nacional de Doenças de Pele ganha espaço na Câmara Federal e pretende garantir direitos a pacientes

Mocap do portal Doenças de Pele Brasil. Foto: Agência Mi Digital

O I Simpósio Nacional “O Cenário das Doenças Crônicas de Pele no Brasil”, realizado recentemente e de forma híbrida, marcou o lançamento de mais um projeto da ONG Psoríase Brasil, o Doenças de Pele Brasil (DPB). A iniciativa busca ampliar a atuação da instituição no enfrentamento às doenças crônicas e imunomediadas da pele, como o Vitiligo, Dermatite Atópica, Urticária Crônica Espontânea, Hidradenite Supurativa e Doença Psoriásica.

O encontro contou com a presença de renomados médicos dermatologistas, imunologistas e alergistas, bem como membros da Sociedade Brasileira de Alergia e Imunologia (ASBAI) e da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD). Além da deputada federal Carmen Zanotto (PPS-SC), que em sua participação abriu a possibilidade de inclusão das demais doenças crônicas de pele, fora psoríase e vitiligo, no substitutivo ao PL 3.809/2019, o qual é relatora. De autoria da deputada federal Rejane Dias (PT-PI), o Projeto de Lei original busca a melhora no atendimento pelo Sistema Único de Saúde (SUS) a pacientes com essas moléstias dermatológicas.

Conforme manifestou Carmen, já envolvida há alguns anos na luta pelo bem-estar e por políticas públicas de saúde para pacientes acometidos por psoríase, a iniciativa se dará por meio da redação de um novo substitutivo. O texto da matéria, integrando Dermatite Atópica, Urticária Crônica Espontânea e Hidradenite Supurativa, terá a colaboração dos médicos especialistas e associações ligadas ao segmento, coordenadas pela Psoríase Brasil.

Assim, de acordo com a parlamentar, é possível o documento contemplar políticas públicas para o diagnóstico e tratamento dessas doenças, capacitações de médicos e profissionais da atenção primária ao paciente, bem como o acesso a novos medicamentos. Ademais, há ainda perspectiva de revisão de prazo dos protocolos clínicos e diretrizes terapêuticas (PCDT’s) para no máximo dois anos, já que hoje esse aprazamento não existe.

O DPB também conta com portal, podcast e redes sociais – Instagram e Facebook. Os canais de comunicação Doenças de Pele Brasil trazem informações essenciais aos pacientes sobre sintomas, tratamentos e cuidados de cada uma dessas doenças dermatológicas, expandindo, desta forma, o renomado trabalho realizado há mais de duas décadas pela Psoríase Brasil.

À frente da instituição, Gládis Lima, defensora dos direitos dos pacientes e conhecida nacionalmente pela condução da Psoríase Brasil, manifestou sua total satisfação pelo reconhecimento da deputada Carmen Zanotto, por abrir a possibilidade de integrar as demandas relacionadas às doenças crônicas de pele em um PL já existente, através de novo substitutivo. “A senhora leu nossos pensamentos, deputada, pois, desta forma, poderemos ampliar esse acesso às outras enfermidades de pele que acometem milhares de pacientes por todos os cantos do Brasil. Precisamos de capacitação a quem recebe nossos pacientes para que não tenham que ser submetidos à dura e difícil jornada até que cheguem a um diagnóstico preciso. Uma vez que, em muitos casos, até isso ocorrer acabam por estar com a doença já em estado avançado, prejudicando em muito sua qualidade de vida”, salientou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.