Segurança do Paciente conta com Comissão especial no Hospital São Vicente

Dr. João durante as avaliações das ocorrências

Há quatro anos, o Hospital de Caridade São Vicente de Paulo (HSV), em Jundiaí (SP), implantava o Núcleo de Segurança do Paciente (NSP), a fim de promover a prevenção, controlar e minimizar os riscos de incidentes, além da integração dos setores e a articulação dos processos de trabalho. A iniciativa faz parte do Programa Nacional de Segurança do Paciente (PSP), instituído pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Formado por enfermeiros e médicos, o NSP realizou recentemente a adequação de diversos protocolos internos, investiu na melhoria do atendimento prestado pelas equipes do hospital e reforçou a importância da utilização dos métodos implantados por meio das seis metas internacionais para segurança do paciente: a identificação correta, comunicação efetiva, prescrição, uso e administração de medicamentos, cirurgia segura, higienização correta das mãos, prevenção de quedas e lesão por pressão.

“Todos os eventos adversos, como chamamos os incidentes, são notificados por meio de um formulário fornecido pelo departamento da qualidade e preenchido pelos próprios profissionais. Os registros apontam que os casos de lesão por pressão e queda são os que mais acontecem, já que a maioria dos pacientes são idosos e acamados, porém o incidente pode ocorrer por diversas razões, incluindo um usuário anestesiado, ou com uma forte medicação”, explica Dr. João Augusto Fernandes Gonçalves, presidente do núcleo.

O documento é analisado pela equipe e encaminhado para os gestores da área notificada. O objetivo é identificar as possíveis falhas, realizar as tratativas de modo que as correções necessárias sejam executadas. “Com o auxilio da diretoria, diversas melhorias já foram implantadas com base nas ocorrências. Para evitar que esses incidentes aconteçam novamente, nós trocamos os dispositivos de contenção para prevenir as quedas, trocamos todos os colchões para minimizar o risco de lesão por pressão, implantamos a metodologia SBAR – Situação, Breve Histórico, Avaliação e Recomendação – para passagem de plantão, reforçamos o check list para realização de cirurgia segura, entre outras ações”, pontua o médico.

Atualmente, os novos colaboradores são treinados durante a integração, onde participam de atividades práticas baseadas em cada uma das metas. A ação conta com a ajuda dos personagens, que possuem nome e cor especifica para cada orientação. A brincadeira facilita a associação e a memorização dos protocolos. Os membros da comissão visam uma reciclagem para quem já atua na instituição. “Estamos estruturando e organizando alguns fluxos e protocolos, para que todos recebam o treinamento”, conta Dr. João.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.