Seminário debate resposta anticórpica após infecção ou vacinação contra SARS-CoV-2

O início da vacinação contra a Covid-19 no Brasil representa um alívio para muitos brasileiros. No entanto, algumas dúvidas sobre a vacinação, sua eficácia e o processo de imunização no organismo despertaram alguns pontos de atenção na população em geral e meio científico.

Não há qualquer motivo, a priori, para acreditar em falhas da resposta anticórpica das vacinas disponíveis hoje no Brasil, e não há motivos para acreditar que pessoas vacinadas não desenvolverão anticorpos e respostas celulares.

Cerca de duas semanas após a infecção, os anticorpos estarão presentes em níveis detectáveis. Muitos testes para anticorpos da Covid-19 são desenhados para detectar de 1 a 2 alvos, o que pode indicar se um paciente foi exposto ao vírus e pode fornecer dados suficientes para a população geral. No entanto, quando falamos de pessoas transplantadas, cada vez mais é discutido sobre a importância de se observar o padrão da resposta imune neste importante grupo.

Nesse evento que acontecerá no dia 10 de junho, quinta-feira, às 16h, com transmissão ao vivo na UniBiometrix, a universidade corporativa da Biometrix. O convidado especial é o Dr. Fernando Vinhal, médico com doutorado em Imunologia Aplicada pela Universidade Federal de Uberlândia, que mostrará estudos sobre a resposta anticórpica após infecção ou vacinação contra o SARS-CoV-2 realizados com o teste LABScreen™ Covid Plus. Considerado mais completo, o teste fornece uma resposta completa do perfil de anticorpos do paciente, detectando a presença de 5 alvos para SARS-CoV-2 presentes no sangue: proteína spike, S1, S2, domínio do receptor de ligação (RBD) e fragmento do nucleocapsídeo.

Inscrições no link.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.