Sistema integrado de dados clínicos e laboratoriais e doença relacionada a prótese mamária são finalistas em prêmio de inovação

376

Duas pesquisas do IBCC Oncologia são finalistas no prêmio Euro Inovação em Saúde: DocMed – Uma ferramenta tecnológica para o gerenciamento de pacientes crônicos, do médico dermatologista, Aldo Toschi; e SIGBIC – Granuloma induzido por silicone na cápsula, do médico radiologista, Eduardo de Faria Castro Fleury.

O Prêmio Euro é exclusivamente voltado a médicos, devidamente registrados nos conselhos regionais de medicina. O objetivo é reconhecer e incentivar a comunidade médica do Brasil na busca por soluções inovadoras em produtos, serviços e ações que resultem em ganhos potenciais e efetivos para a qualidade de vida e bem-estar dos brasileiros.

A iniciativa do dermatologista cria um sistema de centralização de informações clínicas e laboratoriais resumidas, compartilhadas entre as equipes de saúde e o paciente. “O DocMed é um aplicativo baseado em nuvem, voltado para melhorar o relacionamento de médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, nutricionistas, laboratórios de análises clínicas e setores administrativos de instituições de saúde que, trabalhando no mesmo ambiente ao redor do paciente, contribui para otimizar o relacionamento e a eficiência do tratamento proposto”, ressalta Dr. Aldo.

Trata-se de ferramenta tecnológica de fácil utilização, disponível gratuitamente ao paciente e que tem importante função para a assistência social e o adequado relacionamento entre hospitais e clínicas especializadas.

Dessa maneira, se é possível preparar um receituário eletrônico que pode ser enviado ao paciente, assinado digitalmente pelo médico responsável facilitando o acesso a medicamentos em mínimo espaço de tempo com redução importante de custos de locomoção e de tempo.

Já a pesquisa do Dr. Fleury descreve uma doença inédita relacionado aos implantes de silicone. O trabalho foi todo desenvolvido no Serviço de Diagnóstico por Imagem do IBCC Oncologia, protocolado na Plataforma Brasil. Por meio de observação de achados recorrentes em paciente com próteses mamárias, os autores formularam uma hipótese de que os implantes mamários poderiam causar alterações específicas nos métodos de imagem.

A hipótese foi comprovada em estudos anátomos patológicos que demonstravam corpúsculos de silicone nas cápsulas fibrosas dos implantes e foi validada em estudo prospectivo de 3 anos. Foram avaliados mais de 2.500 implantes mamários e a doença foi encontrada em cerca de 40% das pacientes. Foi observado ainda que muitas dessas pacientes apresentam sintomas clínicos específicos, muitos de origem imunológica. O PRINCIPAL DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL É O LINFOMA ANAPLASICO DE GRANDES CÉLULAS. Os autores descreveram a doença como granuloma induzido por silicone na cápsula fibrosa dos implantes mamários (SIGBIC- silicone induced granuloma of breast implant capsule). Para facilitar a compreensão dos achados foi criado um blog sobre o tema, sigbic.org.

Os trabalhos finalistas foram selecionados por um júri especializado dentre 1.650 pesquisas inscritas e agora vão a votação pela comunidade médica, juntamente com outros 98 trabalhos de todo o Brasil. A votação pode ser feita até o dia 12 de abril. Veja aqui como votar. Os vencedores ganharão prêmios de € 50 mil e o grande vencedor ganhará um prêmio de € 500 mil.

Abaixo, destacamos o código para votação e resumo de cada trabalho do IBCC Oncologia que concorre aos prêmios. A divulgação do resultado e a cerimônia de premiação estão previstas para a segunda quinzena do mês de junho.

Código EUR014SP
Tema: Pesquisa
Médico responsável: EDUARDO DE FARIA CASTRO FLEURY
CRM: 101679-SP
Instituição: IBCC Oncologia – Instituto Brasileiro de Controle do Câncer
A SIGBIC é uma nova doença descrita pelo autor relacionada aos implantes de silicone. No ano de 2016, teve o primeiro caso diagnosticado de SIGBIC. O principal diferencial no diagnóstico, na época, foi o Linfoma Anaplásico de Grandes Células (BIA-ALCL). A partir deste diagnóstico o médico deu início a um protocolo de pesquisa para observar a frequência da doença e validar os achados originais descritos pelos métodos de imagem. Descreveu os principais achados de Ressonância Magnética que permitiram o diagnóstico de SIGBIC. Três achados fazem parte dos critérios diagnósticos: sinal do black-drop, massa com hipersinal em T2 e realce tardio ao contraste.

Código EUR049SP
Tema: Medicina social/Assistência, Tratamento, Tecnologia
Médico responsável: ALDO TOSCHI
CRM: 55967-SP
Instituição: IBCC Oncologia – Instituto Brasileiro de Controle do Câncer
Criou um sistema de centralização de informações clínicas e laboratoriais resumidas, compartilhadas entre as equipes de saúde e o paciente. O DocMed é um aplicativo baseado em nuvem, voltado a melhorar o relacionamento de médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, nutricionistas, laboratórios de análises clínicas e setores administrativos de instituições de saúde que, trabalhando no mesmo ambiente ao redor do paciente, otimizam o relacionamento e a eficiência do tratamento proposto. Com todas as informações partilhadas em local único, se prevê oportunidade para o correto e ético exercício da telemedicina. Isso porque pacientes já diagnosticados e devidamente acompanhados por médicos poderão fazer consultas à distância e/ou receber orientações sobre curativos e tratamentos. Além disso, receituário eletrônico pode ser enviado ao paciente, assinado digitalmente pelo médico responsável o que vai facilitar o acesso a medicamentos em menor espaço de tempo com redução importante de custos de locomoção e de tempo.