Terapia Celular: edição gênica já é discutida no Brasil, afirma especialista

O CAR-T Cell é uma terapia celular que tem como objetivo tratar doenças modificando células de defesa do próprio paciente para utilizá-las no tratamento. Essa tecnologia vem revolucionando, por exemplo, o tratamento do câncer. “Ainda que as células CAR-T sejam um assunto relevante em terapia celular avançada e vem sendo discutido há muitos anos, temos também discutido o que tem de novidade recente na área como um todo, como edição gênica, com especial atenção às doenças hematológicas benignas”, diz Dr. Rodrigo Calado, chair do TACG e vice-diretor científico da ABHH.

Em 2022, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou duas terapias com CAR-T Cell no Brasil, produzidas pela indústria farmacêutica, para o tratamento de leucemia linfoide aguda, de linfoma difuso de grandes células B e de mieloma múltiplo. A entidade também está avaliando utilizá-las para outros tipos de cânceres no sangue.

Com o objetivo de discutir novidades sobre o CAR-T Cell, a Associação Brasileira de Hematologia, Hemoterapia e Terapia Celular (ABHH) realiza o Simpósio Terapias Avançadas Células e Genes (TACG), nesta sexta-feira (5) e sábado (6). A programação científica contempla palestras sobre os princípios e tecnologias para edição de genoma e a manufatura de CAR-T Cell.

Nesta terceira edição do evento, realizado de modo remoto, cientistas e profissionais clínicos do Brasil e da América Latina participam de palestras com alguns dos maiores especialistas em terapia celular avançada do
Brasil, Estados Unidos e China.

Segundo o especialista, o evento traz elementos novos na fronteira da terapia celular avançada e mostra o que deve ser utilizado nos próximos anos: “O CAR-T Cell é um assunto bastante relevante em terapia celular avançada, e nós falaremos dele, assim como o que tem de novidade nessa área”.

Liderança na América Latina – Além da aprovação de dois tratamentos com o CAR-T Cell pela Anvisa, o Brasil se coloca como um ator de destaque com a terapia avançada e, em breve, passa a oferecer o tratamento no Sistema Único de Saúde (SUS). Por meio de uma iniciativa do Instituto Butantã, da Universidade de São Paulo (USP) e do Hemocentro de Ribeirão Preto foi criado, em São Paulo e em Ribeirão Preto, o maior centro de terapia celular avançada da América Latina, para a produção de células CAR-T para o SUS.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.